Do campo à escola: reflexões sobre a arquitetônica dos discursivos produzidos no contexto de transmissão de saberes tradicionais

Cristiane Dominiqui Vieira Burlamaqui

Resumo


Apresentamos os resultados iniciais da etapa de descrição e análise dos gêneros do discurso emergentes no contexto da transmissão dos saberes de comunidades tradicionais da Amazônia paraense. Utilizamos, como pedra angular de nossas reflexões, a teoria dialógica do discurso. A reflexão, em torno do material linguístico, advindo dos registros, da análise e da descrição dos gêneros do discurso produzidos nas atividades enunciativas que emergem durante o processo da transmissão oral de técnicas tradicionais usadas na apropriação dos recursos naturais – o etnoconhecimento e/ou a Etnociência (DIEGUES, 2008) – possibilita alimentar o debate sobre o problema da relação recíproca estabelecida entre a infraestrutura e a superestrutura, a materialidade discursiva e a vida vivida, e como a relação entre essas quatro instâncias revela fragmentos da vida cotidiana de populações tradicionais.


Palavras-chave


saberes tradicionais; análise dialógica do discurso; signo ideológico

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. M. [1895-1975]. Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, M. M.; VOLOSHÍNOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico da linguagem. 14. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

BEZERRA, P. Polifonia. In: BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: conceitos-chave. 5. ed.

reimp. São Paulo: Contexto, 2014. p. 191-200.

CUNHA, M. C. Relações e dissensões entre saberes tradicionais e saber científico. Revista USP, São Paulo, n. 75, p. 76-84, set./nov. 2007.

DIEGUES, A. C. O mito moderno da natureza intocada. 6. ed. São Paulo: Ed. Hucitec, NUPAUB, 2008.

FARACO, C. A. Linguagem e diálogo: as idéias linguísticas do círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

FIORIN, J. L. Categorias de análise em Bakhtin. In: DE PAULA, L.; STAFUZZA, G. (Org.). Círculo de Bakhtin: diálogos in possíveis. Campinas: Mercado das Letras, 2010. (Série Bakhtin: Inclassificáveis; v. 2). p. 33-48.

BRASIL. IBGE: Cidades. Disponível em: . Acesso em: 07 mai. 2016.

LÉVI-STRAUSS, C. O pensamento selvagem. Tradução de Tânia Pellegrini. 8. ed. Campinas: Papirus, 1989.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v46i3.1698

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)