A relação entre ortografia e fonologia na formação de interjeições

Natália Cristine Prado

Resumo


O objetivo desta pesquisa é investigar a relação entre fonética/fonologia e a ortografia de interjeições encontradas em HQs. Para compor o corpus desta pesquisa, coletamos 92 interjeições de base onomatopaica/expressiva a partir dos gibis da “Turma da Mônica”, da revista Turma da Mônica Jovem e, por fim, das tiras diárias publicadas no jornal Folha de São Paulo. As análises deste trabalho exploram primordialmente a relação entre ortografia e fonética/fonologia e foi possível observar que a escrita de algumas interjeições encontradas passa por um processo de estilização da grafia – muitas vezes com o intuito de trazer elementos prosódicos para o vocábulo, por exemplo, volume e duração. Com esta investigação, esperamos colaborar não apenas para a compreensão da linguagem dos quadrinhos, mas para uma compreensão mais global da fonética, da fonologia e da ortografia da língua portuguesa.


Palavras-chave


interjeição; ortografia; fonologia

Texto completo:

PDF

Referências


AZEREDO, J. C. Escrevendo pela nova ortografia: como usar as regras do novo acordo ortográfico da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2012.

BAGNO, M. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 2009.

CAGLIARI, L. C. A escrita do barulho. Estudos Linguisticos – Anais de seminários do GEL, São Paulo, Instituição Moura Lacerda, v. 22, p. 615-622, 1993.

CAGNIN, A. L. Os quadrinhos: um estudo abrangente da arte sequencial: linguagem e semiótica. São Paulo: Criativo, 2014.

CEGALLA, D. P. Novíssima gramática da língua portuguesa. 48. ed. São Paulo: Editora Companhia Nacional, 2009.

CHICO BENTO. São Paulo: Panini Comics, n. 11, março 2016.

COLLISCHONN, G. A sílaba em português. In: BISOL, L. (Org.). Introdução a estudos de fonologia do português brasileiro. 4. ed. Porto Alegre: EDIPURCS, 2005[1996]. p. 101-133.

DINGEMANSE, M.; TORREIRA, F.; ENFIELD, N. J. Is “Huh?” a Universal Word? Conversational Infrastructure and the Convergent Evolution of Linguistic Items. PLoS ONE, 8(11): e78273, 2013. Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2018.

EGUTI, C. A. A representatividade da oralidade nas histórias em quadrinhos. 2001. 198 f. Dissertação (Mestrado em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia e Língua Portuguesa, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

LUYTEN, S. M. B. O que é histórias em quadrinhos. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

MACEDO, N. Z. Análise fonológica de nomes próprios de origem estrangeira e novas criações em Português Brasileiro. 2015. 171 f. Dissertação (Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2015.

MAINGUENEAU, D. Discurso e análise do discurso. São Paulo: Contexto: 2015.

MASSINI-CAGLIARI, G. Changing Attitudes: Ways of Phonologically Adapting Proper Names in Archaic Brazilian and European Portuguese. In: KOLOKONTE, M.; JANKE, V. (Org.). Interfaces in Language 3. v. único. Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars, 2013. p. 159-178.

MASSINI-CAGLIARI, G. Loans and foreign first names as clues to Phonological Identity in Brazilian Portuguese. In: HORNSBY, D. (Org.). Interfaces in language 2. v. 1. Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars, 2011a. p. 53-67.

MASSINI-CAGLIARI, G. Adaptação fonológica de nomes próprios de origem estrangeira: comparação entre Português Arcaico e Português Brasileiro. Estudos Linguísticos, São Paulo, 40 (2), p. 795-807, mai./ago. 2011b.

MASSINI-CAGLIARI, G. Discutindo questões de identidade a partir da (não) adaptação fonológica de nomes próprios de origem estrangeira no Brasil. In: NEVES, M. H. de M. As interfaces da gramática. Araraquara: FCL-UNESP Laboratório Editorial; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. (Série Trilhas Linguísticas 18). p. 73-90.

MENDONÇA, M. R. de S. Um gênero quadro a quadro: a história em quadrinhos. In: DIONISIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (Orgs.). Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. p. 194-207.

PASSARELLI, L. G. Os quadrinhos na educação lingüística: história, teoria e prática. In: BASTOS, N. B. (Org.). Língua Portuguesa em calidoscópio. São Paulo: EDUC, 2004. p. 47-59.

PASSOS, L. A.; VIEIRA, M. S. de P. A contribuição do gênero história em quadrinhos para o desenvolvimento da leitura. Anais do IV Simpósio Internacional de Ensino de Língua Portuguesa. 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2018.

PRADO, N. C. A influência da língua inglesa na formação de nomes comerciais: questões de identidade linguística e cultural. 2014. 343 f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2014.

RAMOS, P. A leitura dos quadrinhos. São Paulo: Contexto, 2012.

RAMOS, P. Histórias em quadrinhos: gênero ou hipergênero. Estudos Lingüísticos, v. XXXVIII, p. 355-367, 2009.

RAMOS, P. Histórias em quadrinhos: um novo objeto de estudos. Estudos Lingüísticos, v. XXXV, p. 1574-1583, 2006.

RAMOS, P. Piadas e tiras em quadrinhos: a oralidade presente nos textos de humor. Estudos Lingüísticos, v. XXXI, p. 1158-1163, 2005.

SANDMANN, A. J. Morfologia Lexical. São Paulo: Contexto, 1997.

SILVA, R. L. A contribuição das histórias em quadrinhos de super-heróis para a formação de leitores críticos. Revista Anagrama: revista científica interdisciplinar de graduação. 2011. Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2018.

SILVÉRIO, L. B. R.; REZENDE, L. A. de. O valor pedagógico das histórias em quadrinhos no percurso do docente de língua portuguesa. Anais da I Jornada de Didática – O ensino como foco e do I Fórum de professores do estado do Paraná. 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 mar. 2018.

SOUZA, S. M. L. S. de. Antropônimos de origem inglesa: adaptações ortográficas e fonético-fonológicas realizadas por falantes do português brasileiro de São Luís-MA. 2011. 248 f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2011.

VERGUEIRO, W. A pesquisa em quadrinhos no Brasil: a contribuição da universidade. In: LUYTEN, S. B. (Org.). Cultura pop japonesa. São Paulo: Hedra, 2005. p. 15-26.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v47i1.1920

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)