A referência e o estereótipo na comunicação colaborativa intercultural

Paola de Carvalho Buvolini Freitas, Daniela Nogueira de Moraes Garcia

Resumo


A mediação no teletandem visa discutir, contextualizar acontecimentos linguísticos e culturais das sessões de interação. Trata-se de um espaço propício para o questionamento de dois movimentos: a referência e o estereótipo (LIPPMANN, 2008). Este artigo problematiza, na colaboração intercultural, a recorrência desses na formação de mediadores para não dicotomizar o ensino de línguas estrangeiras, mas vê-lo pelo seu acontecimento. Observamos dois estudos de caso de interações em teletandem para demonstrar a recorrência, via identidade nacional, da referência e do estereótipo e compreender seus usos. Os resultados revelam que as identidades nacionais sobressaem para estabelecer pertencimentos territoriais, expor maior conhecimento deste interagente e entendê-los como processos constitutivos da nacionalidade em confronto, de práticas sociais que tendem a perder a força de sedimentação no diálogo.


Palavras-chave


Teletandem; estereótipo; referência nacional; mediação

Texto completo:

PDF

Referências


BACCEGA, M. A. Comunicação e Linguagem: discursos e ciência. São Paulo: Moderna, 1998.

BAUMAN, Z. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BRAMMERTS, H.; CALVERT, M.; KLEPPIN, K. Aims and approaches in individual learner counselling. In: LEWIS, T.; WALKER, L. (Eds.). Autonomous Language Learning In-Tandem. Sheffield, UK: Academy Electronic Publications, 2013. p. 105-114.

BUTLER, J. Gender Trouble: Feminism and the Subversion of Identity. New York: Routledge, 1990.

BUTLER, J. Lenguaje, poder e identidad. Tradução de Javier Sáez y Beatriz Preciado. Madrid: Editora Síntesis, 2004.

CABECINHAS, R. Processos cognitivos, cultura e estereótipos sociais. In: ACTAS DO II CONGRESSO IBÉRICO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 2004, Universidade da Beira Interior, Covilhã. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2017. p. 3-18.

DERRIDA, J. Limited Inc. Campinas: Papirus, 1991.

ELHAJJI, M. Comunicação Intercultural: apontamentos analíticos. Revista Contemporânea, UERJ, n. 4, n. 1, p. 52-59, 2005.

GARCIA, D. N. M. O que os pares de Teletandem (não) negociam. São Paulo: UNESP, 2013.

GILHAN, B. Case Study Research Methods. London: Continuun, 2000.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LIPPMANN, W. Opinião pública. Petrópolis: Vozes, 2008.

MAZZARA, B. M. Estereotipos y prejuicios. Madrid: Acento Editorial, 1999.

PARISI, L. The Adventures of a Sex. In: Deleuze and Queer Theory. Edited by Chrysanthi Nigianni and Merl Storr. Edinburgh University Press, 2009. p. 72-91.

ROLNIK, S. Toxicômanos de identidade: subjetividade em tempo de globalização. Cultura e subjetividade: saberes nômades. Campinas: Papirus, 1997. p. 19-24.

SILVA, T. T. Identidade e diferença. A perspectiva dos Estudos Culturais. 13. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

TELLES, J. A. Teletandem and Performativity. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 15, n. 1, p. 1-30, 2015.

TELLES, J. A. Teletandem: um contexto virtual, autônomo e colaborativo para aprendizagem de línguas estrangeiras no século XXI. Campinas: Pontes, 2009.

TELLES, J. A. Projeto Teletandem Brasil: Línguas Estrangeiras para Todos – Ensinando e Aprendendo línguas estrangeiras in-tandem via MSN Messenger. Faculdade de Ciências e Letras de Assis, UNESP. 2006. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2014.

VYGOTSKY, L. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Tradução de José Cipolla Neto, Luís Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, T. T. da (Org.). Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2013. p. 7-72.

ZAKIR, M. A. Cultura e(m) telecolaboração: uma análise de parcerias de teletandem institucional. 2015. 234 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2015.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v47i2.1997

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)