O nível de proficiência como fator mediador no processo de efeito retroativo do EPLIS

Paula Ribeiro e Souza

Resumo


Este estudo tem como objetivo investigar como o nível de proficiência de alunos de um curso de formação em controle de tráfego aéreo interfere nas suas percepções e atitudes acerca de um exame externo de inglês aeronáutico, ao qual são submetidos ao final do programa. Para isso, foi elaborado e aplicado um questionário aos 407 alunos do curso. Os dados foram submetidos à análise de componentes principais e a testes de hipóteses para investigar relações de significância entre os construtos fundamentais presentes no questionário e o nível de proficiência declarado pelos participantes. Os resultados mostraram que os alunos que se consideram mais proficientes atribuem níveis mais altos aos conhecimentos que possuem sobre o exame, à frequência com que se engajam em práticas preparatórias, à importância atribuída ao sucesso no teste, bem como ao alinhamento entre ensino e avaliação externa.

Palavras-chave


efeito retroativo; ensino e aprendizagem de inglês aeronáutico; proficiência

Texto completo:

PDF

Referências


ALDERSON, J. C.; WALL, D. Does washback exist? Applied Linguistics, v. 14, n. 2, p. 115-129, 1993.

ALDERSON, J. C.; BANERJEE, J. Language testing and assessment – Part I. Language Teaching, v. 34, n. 4, p. 213-236, 2001.

ALDERSON, J. C.; HAMP-LYONS, L. TOEFL preparation courses: a study of washback. Language Testing, v. 13, n. 3, p. 281-297, 1996.

BACHMAN, L. F.; PALMER, A. S. Language testing in practice: designing and developing useful language tests. Oxford: Oxford University Press, 1996.

BAILEY, K. Working for washback: A review of the washback concept in language testing. Language Testing, v. 13, n. 3, p. 257-279, 1996.

BURROWS, C. Washback in Classroom-Based Assessment: A study of the Washback Effect in Australian Adult Migrant English Program. In: CHENG, L.; WATANABE, Y.; CURTIS, A. (ed.). Washback in Language Testing: Research, Contexts and Methods. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2004. p. 113-128.

CHENG, L. Changing assessment: washback on teacher’s perspectives and actions. Teaching and Teacher Education, v. 15, n. 3, p. 253-271, 1999.

CHENG, L.; ANDREWS, S.; YU, Y. Impact and consequences of school-based assessment (SBA): Students’ and parents’ views of SBA in Hong Kong. Language Testing, v. 28, n. 2,

p. 221-249, 2010.

GREEN, A. IELTS washback in context: Preparation for academic writing in higher education. Studies in Language Testing 25. Cambridge, UK: Cambridge University Press and Cambridge ESOL, 2007.

HAIR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise Multivariada de Dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HUGHES, A. Backwash and TOEFL 2000. Unpublished manuscript. Reading, UK: University of Reading, 1993.

LANZONI, H. DE P. Exame de proficiência em leitura de textos acadêmicos em Inglês: um estudo sobre efeito retroativo. 2004. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

MCNAMARA, T.; ROEVER, T. Language Testing: The social dimension. Malden, MA: Blackwell, 2006.

MESSICK, S. Validity and washback in language testing. Language Testing, v. 13, n. 3, p. 241-255, 1996.

ORGANIZAÇÃO DA AVIAÇÃO CIVIL INTERNACIONAL/OACI. Manual on the implementation of ICAO language proficiency requirements: Doc. 9835 AN/453. 2. ed. Montreal, 2010.

SCARAMUCCI, M. V. R. Vestibular e ensino de língua estrangeira (Inglês) na escola pública. Trabalhos de Linguística Aplicada, v. 34, p. 7-20, 1999.

SCARAMUCCI, M. V. R. Efeito Retroativo da Avaliação no Ensino/Aprendizagem de línguas: o estado da Arte. Trabalhos de Linguística Aplicada, v. 43, n. 2, p. 203-226, 2004.

SCARAMUCCI, M. V. R. Validade e consequências sociais das avaliações em contextos de ensino de línguas. Linguarum Arena, v. 2, p. 103-120, 2011.

SCARAMUCCI, M. V. R. et al. Validação do exame de proficiência em Língua Inglesa para profissionais prestadores de serviços de tráfego aéreo do SISCEAB. 2010. Relatório final de pesquisa. Campinas: UNICAMP, 2010.

SOUZA, P. R. O efeito retroativo do EPLIS nas percepções de professores. Brazilian English Language Teaching Journal, v. 8, n. 1, p. 5-29, 2005.Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/belt/issue/view/1150. Acesso em: 25 jun. 2017.

SOUZA, P. R. Os componentes determinantes do efeito retroativo de um exame de proficiência em inglês aeronáutico. In: SCARAMUCCI, M. V. R.; TOSQUI-LUCKS, P.; DAMIÃO, S. M. Pesquisas sobre Inglês Aeronáutico no Brasil. Campinas: Pontes, 2018. p. 221-242.

SHOHAMY, E. Language Policy: Hidden agendas and new approaches. New York: Routledge, 2006.

STENLUND, T.; EKLÖF, H.; LYREN, P. Group differences in test-taking behavior: an example from a high-stakes testing program. Assessment in Education, v. 24, n. 1, p. 4-20, 2017.

STONEMAN, B. The impact of an exit English test on Hong Kong undergraduates: a study investigation of the test’ status on students’ test preparation behaviours. 2006. Unpublished PhD Dissertation. Hong Kong Polytechnic University: Hong Kong, China, 2006.

TOSQUI-LUCKS, P. T. et al. Ensino e avaliação de Língua Inglesa para controladores de tráfego aéreo como requisito de segurança em voo. Revista Conexão SIPAER, v. 7, n. 1,

p. 44-54, 2016. Disponível em: http://conexaosipaer.cenipa.gov.br/index.php/sipaer/issue/view/19. Acesso em: 25 jun. 2017.

WATANABE, Y. Teacher factor mediating washback. In: CHENG, L.; WATANABE, Y.; CURTIS, A. (ed.). Washback in Language Testing: Research, Contexts and Methods. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2004. p. 129-146.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i1.2151

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)