Complexidade enunciativa em Memórias da Emília

Aline Suelen Santos

Resumo


No presente trabalho, investigamos com quais papéis enunciativos a relação eu/outro se mostrou representada na complexidade enunciativa de um exemplar de escrita produzida para crianças: Memórias da Emília (1939/1969), de Monteiro Lobato. Os resultados mostraram jogos enunciativos organizados por um (L), o narrador, que simula relações dialógicas construídas como enunciadas por interlocutores que desempenham, simultaneamente, múltiplos e entrecruzados papéis nessas relações, a saber: os de falante, de ouvinte, de escrevente e de leitor. Esses entrecruzamentos, ao indiciarem uma não dicotomização dos interlocutores em papéis estanques, acabaram por mostrar uma constituição heterogênea da própria escrita, já que tal multiplicidade de papéis evocou diferentes trânsitos e formas de relação entre o falado e o escrito na própria escrita.

Palavras-chave


da escrita; complexidade enunciativa; relação fala/ escrita

Texto completo:

PDF

Referências


ABAURRE, M. B. M.; FIAD, R. S.; MAYRINK-SABINSON, M. L.; GERALDI, J. W. Considerações sobre a utilização de um paradigma indiciário na análise de episódios de refacção textual. Trabalhos de Linguística Aplicada, Campinas, v. 25, p. 5-23, jan./jun. 1995.

AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneidade(s) enunciativa(s). Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 19, p. 25-42, jul./dez. 1990.

AUTHIER-REVUZ, J. Palavras incertas: as não-coincidências do dizer. Campinas: UNICAMP, 1998.

AUTHIER-REVUZ, J. Entre a transparência e a opacidade – um estudo enunciativo do sentido. Tradução Alda Scher e Elsa Maria Nitsche Ortiz. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

BAKHTIN, M. (VOLOCHINOV, V. N.). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitex, 1979.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BAKHTIN, M. Questões de literatura e estética: a teoria do romance. São Paulo: Hucitec, 1993.

BRAIT, B. Bakhtin e a natureza constitutivamente dialógica da linguagem. In: BRAIT, B. Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. 2. ed. Campinas: Editora UNICAMP, 2006.

p. 87-98.

CHACON, L. Ritmo da escrita: uma organização do heterogêneo da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

CHACON, L. Oralidade e letramento na construção da pontuação. Revista Letras (Curitiba), Curitiba, v. 61, n. esp., p. 97-122, 2004.

CORRÊA, M. L. G. Letramento e heterogeneidade da escrita no ensino de Português. In: SIGNORINI, I. (org.). Investigando a relação oral/escrito e as teorias do letramento. Campinas: Mercado de Letras, 2001. p. 135-166.

CORRÊA, M. L. G. O modo heterogêneo de constituição da escrita. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

CORRÊA, M. L. G. Encontros entre prática de pesquisa e ensino: oralidade e letramento no ensino da escrita. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 28, n. 2, p. 625-648, jul./dez. 2010.

CORRÊA, M. L. G. As perspectivas etnográfica e discursiva no ensino da escrita: o exemplo de textos de pré-universitários. Revista da ABRALIN, v. eletrônico, n. especial, 2. parte,

p. 333-356, 2011.

CORRÊA, M. L. G. Bases teóricas para o ensino da escrita. Linguagem em (Dis)curso. Tubarão, v. 13, n. 3, p. 481-513, set./dez. 2013.

CORRÊA, M. L. G. Epistemologias na introdução e no desenvolvimento de práticas escritas: identidades em jogo. D.E.L.T.A, v. 31, n. esp., p. 127-167, 2015.

LOBATO, M. Memórias da Emília. 16. ed. São Paulo: Brasiliense, 1969.

OLSON, D. R. From Utterance to Text: the Bias of Language in Speech and Writing. Harward Educational Review, v. 47, n. 3, p. 257-281, ago./1977.

ONG, W. Oralidade e cultura escrita: a tecnologização da palavra. Campinas: Papirus, 1998.

TFOUNI, L. V. Letramento e Alfabetização. São Paulo: Cortez, 2010.

VOLOSHINOV, V. N.; BAKHTIN, M. M. Discurso na vida e discurso na arte: sobre poética sociológica. Tradução Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza. In: VOLOSHINOV, V. N. Freudism. New York: Academic Press, 1976. p. 1-18.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i1.2206

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)