Empréstimos do Português na língua Mehináku (Arawak)

Paulo Henrique de Felipe

Resumo


Com a colonização do país e, consequentemente, a mistura de povos etnicamente diferentes, muitas foram as mudanças, de caráter diverso e assimétrico, sofridas pelas línguas em contato. Ao longo da trajetória histórica e política do Brasil, por exemplo, muito se tem discutido a respeito dos processos linguísticos oriundos desse contato, bem como sua implicação para os sistemas das línguas em convívio. Tais estudos, em sua maioria, versam em analisar o sistema do Português e o modo como ele foi influenciado pelas línguas com as quais conviveu. Tomando um sentido contrário, neste trabalho buscaremos refletir a respeito de como se dão os empréstimos linguísticos do português na língua Mehináku (Arawak), a fim de traçar um panorama geral dos tipos mais comuns de empréstimos linguísticos presentes neste idioma.


Palavras-chave


empréstimos linguísticos; língua Mehináku; língua portuguesa

Texto completo:

PDF

Referências


COUTO, H. do. Ecolinguística: estudo das relações entre língua e meio ambiente. São Paulo: Thesaurus Editora, 2007.

COLEMAN, L.; KAY, P. Prototype semantics: The English word lie. Language 57, p. 26-44, 1981.

DE FELIPE, P. H. P. S. Numerais na língua Mehináku (Arawak). Revista Estudos Linguísticos, v. 48, n. 2, p. 786-799, 2019.

FIELD, F. W. Linguistic borrowing in bilingual contexts. Amsterdam: Benjamins, 2002.

GREGOR, T. Mehináku: o drama da vida diária em uma aldeia do Alto Xingu. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1982.

HASPELMATH, M. Loanword typology: Steps toward a systematic cross-linguistic study of lexical borrowability. In: STOLZ, T.; BAKTER, D.; PALOMO, R. S. (org.): Aspects of Language Contact. New Theoretical, Methodological and Empirical Findings with Special Focus on Romancisation Processes. Berlin, New York: Mouton de Gruyter, 2008. p. 43-62.

HAUGEN, E. The Norwegian language in America. 2 vols. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1953.

HAUGEN, E. The analysis of linguistic borrowing Language, v. 26, n. 2, p. 210-231, 1950.

INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL (ISA). Povos indígenas no Brasil: 2001-2005. São Paulo: Instituto Socioambiental, 2006.

MATRAS, Y. Language contact. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

RODRIGUES, A. D. Línguas brasileiras – para o conhecimento das línguas indígenas. São Paulo: Loyola, 1986.

SAPIR, E. Língua e ambiente. Lingüística como ciência. Ensaios. Livraria Acadêmica, 1969. p. 43-62.

SAPIR, E. The Status of Linguistics as a Science. Language, v. 5, n. 4, p. 207-214, 1929a.

SAPIR, E. Language. In: MANDELBAUM, D. G. Edward Sapir: culture, language and personality. Selected essays. University of California Press, 1933. p. 1-49.

STAUB, A. O empréstimo linguístico: um estudo de caso. Brasília: Livraria Editora Acadêmica, 1983.

THOMASON, S.; KAUFMAN, T. Language contact, creolization, and genetic linguistics. Berkley: University of California Press, 1991.

WEINREICH, U. Languages in contact: findings and problems. The Hague: Mouton, 1974.

WINFORD, D. An introduction to contact linguistics. Blackwell Publishing, 2003.

WINFORD, D. Contact-induce change. Classification and Process. Diachronia, v. 22, p. 375-427, 2005.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i1.2476

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)