O papel do gênero social nos estudos sociolinguísticos: desafios metodológicos na análise do futuro variável

Camila Bordonal Clempi, Angélica Rodrigues

Resumo


Tendo em vista o tratamento subalterno de investigação da variável gênero enquanto uma categoria fluída de construção e identificação social, histórica e cultural nos estudos sociolinguísticos, objetivamos, neste artigo, discutir os principais desafios metodológicos e apresentar as possibilidades de análise do papel feminino na mudança linguística, mais especificamente na mudança das formas verbais para expressão de tempo futuro no português brasileiro escrito, à luz dos preceitos teóricos e metodológicos da Sociolinguística e da Teoria da Variação e Mudança (WEINREICH; LABOV; HERZOG, 2006 [1968]; LABOV, 2016 [1972]).


Palavras-chave


sociolinguística; gênero social; futuro verbal

Texto completo:

PDF

Referências


ARQUIVO PÚBLICO DE SÃO PAULO. Repositório Digital (Revista A Cigarra). Disponível em: http://www.arquivoestado.sp.gov.br/site/acervo/repositorio_digital/jornais_revistas. Acesso em: 12 fev. 2020.

ALMEIDA, F. S. A expressão variável de futuro verbal no discurso político em três cidades baianas: Salvador, Feira de Santana e Vitória da Conquista. 2015. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2015.

BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL. Hemeroteca Digital (Revista A Cigarra). Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=003085&pesq=. Acesso em: 12 fev. 2020.

BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL. Hemeroteca Digital (Jornal A Gazeta). Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=763900&pesq=. Acesso em: 12 fev. 2020.

BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL. Hemeroteca Digital (Jornal Correio da Manhã). Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docmulti.aspx?bib=089842&pesq=. Acesso em: 12 fev. 2020.

BUITONI, D. H. S. Mulher de papel: a representação da mulher na imprensa feminina brasileira. São Paulo: Edições Loyola, 1981.

BUTLER, J. Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade. Tradução Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003 [1990].

BRAGANÇA, M. L. L. A gramaticalização do verbo ir e a variação de formas para expressar o futuro do presente: uma fotografia capixaba. 2008. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2008.

ECKERT, P. Three waves of Variation Study: The emergence of meaning in the study of sociolinguistic variation. Annual Review of Anthropology, v. 41, p. 87-100, 2012.

FIGUEREIDO, J. G. S. A expressão do futuro verbal na escrita escolar de Irará-BA. 2015. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2015.

FREITAG, R. M. K. (Re)discutindo sexo/gênero na sociolinguística. In: FREITAG, R. M. K.; SEVERO, C. G. (org.). Mulheres, Linguagem e Poder – Estudos de Gênero na Sociolinguística Brasileira. São Paulo: Blucher, 2015. p. 17-74.

GIBBON, A. O. A expressão do tempo futuro na língua falada de Florianópolis: Gramaticalização e Variação. 2000. Dissertação (Mestrado em Letras/Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2000.

GOLDMAN, W. Estado, Mulher e Revolução: política familiar e vida social soviéticas, 1917-1936. São Paulo: Boitempo. Iskra Edições, 2014.

HELLER, B. Vossas filhas sabem ler? INTERCOM (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, XXIV Congresso Brasileiro da Comunicação), Campo Grande- MS, 2001. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2001/papers/NP4HELLER.pdf. Acesso em: 25 jan. 2019.

LABOV, W. Padrões Sociolinguísticos. Tradução Marcos Bagno, Marta Scherre e Caroline Cardoso. 3. reimp. São Paulo: Parábola, 2016 [1972].

LABOV, W. Principles of Linguistic Change – Social Factors. Oxford: Blackwell, 2001.

LABOV, W. The intersection of sex and social class in the course of linguistic change. Language variation and change, v. 2, n. 2, p. 205-254, 1990.

MALVAR, E.; POPLACK, S. O presente e o passado do futuro do Português do Brasil. In: VOTRE, S.; RONCARATI, C. (org.). Anthony Julius Naro e a Linguística no Brasil: uma homenagem acadêmica. Rio de Janeiro: 7letras, 2008. p. 187-207.

MARCUSCHI, L. A. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 8. ed. São Paulo: Ed. Cortez, 2007.

MIRA, M. C. O leitor e a banca de revistas: a segmentação da cultura do século XX. São Paulo: Olho D’Água/Fapesp, 2001.

OLIVEIRA, J. M. A variação do futuro verbal em português: teste de percepção/atitude na cidade de Feira de Santana-BA. Tabuleiro de Letras – Revista do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens, n. 3, p. 1-22, 2011.

OLIVEIRA, J. M. O futuro da língua portuguesa ontem e hoje: variação e mudança. 2006. Tese (Doutorado em Letras Vernáculas) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

PAIVA, M. C. A variável gênero/sexo. In: MOLLICA, M. C.; BRAGA, M. L. (org.). Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2013. p. 33-42.

PISCITELLI, A. Recriando a (categoria) mulher? In: ALGRANTI, L. (org.). A prática feminista e o conceito de gênero. Textos Didáticos, n. 48. Campinas: IFCH/Unicamp, 2002. Disponível em: http://www.culturaegenero.com.br/download/praticafeminina.pdf. Acesso em: 12 fev. 2020.

PRADO, J. Feminilidades e mídia na cultura contemporânea: culto ao corpo, consumo e sexualidade. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2011.

ROSALDO, M. Z. A mulher, a cultura e a sociedade: uma revisão teórica. In: ROSALDO, M. Z.; LAMPHERE, L. (coord.). A mulher, a cultura e a sociedade. Tradução Cila Ankier e Rachel Gorenstein. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. p. 33-64.

SANTOS, E. P. A expressão de futuridade verbal em Santo Antônio de Jesus: uma análise variacionista. 2012. Dissertação (Mestrado em Estudo de Linguagens) – Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2012.

SCALZO, M. Jornalismo de revista. 4. ed. 3. reimp. São Paulo: Contexto, 2016.

SARTI, C. A. O feminismo brasileiro desde os anos 1970: revisitando uma trajetória. Revista Estudos Feministas, v. 12, n. 02, p. 35-50, 2004.

SILVA, E. C. A expressão do tempo futuro no português brasileiro dos séculos XVIII ao XX. 2006. Dissertação (Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2006.

TESCH, L. M. A expressão do tempo futuro no uso capixaba: variação e gramaticalização. 2011. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Tradução Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editorial, 2006 [1968].




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i1.2481

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)