Distribuição da lateral /l/ em coda no português santomense

Amanda Macedo Balduino, Nancy Mendes Torres Vieira

Resumo


O português santomense (PST) é uma das variedades do português faladas em São Tomé e Príncipe e compartilha características estruturais com o português brasileiro (PB), com o português europeu (PE), além de apresentar características intrínsecas, evidenciadas pela distribuição da lateral em coda que, a exemplo do PB e do PE, pode ser produzida como [ɫ] ou [w]. Este artigo tem como objetivo descrever a distribuição de /l/ em coda no PST, bem como analisar os processos de velarização [ɫ] e vocalização [w] nesta variedade. Foi constatada a produção de [ɫ] em 49,87% dos dados e de [w] em 19,1%, sendo a forma vocalizada favorecida quando a vogal anterior era [dorsal].

Palavras-chave


lateral; distribuição da coda; português santomense; velarização; vocalização.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, G.; BALDUINO, A. M. Nasalização Vocálica no Português Urbano de São Tomé e Príncipe. Diacrítica, v. 33, n. 2, p. 41-68, 2019.

BALDUINO, A. M. A nasalidade vocálica no português falado em São Tomé e Príncipe. 2018. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

BALDUINO, A. M. Apagamento de /R/ e /S/ em coda no Português Principense. Papia, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 25-39, 2019.

BISOL, L. A sílaba e seus constituintes. In: NEVES, M. H. de M. (org.) Gramática do Português culto falado: novos estudos. Campinas: Editora da Unicamp, v. 7, p. 701-742, 1999.

BOERSMA, P.; WEENINK, D. Praat: doing phonetics by computer (Version 5.3.82) Computer Program, 2016. Disponível em: http://www.praat.org. Acesso em: 20 jan. 2018.

BOUCHARD, M. Linguistic Variation and change in the Portuguese of São Tomé. Tese (Doutorado em Filosofia) – Departamento de Linguística, New York University, New York, 2017.

BRAGA, G. A prosódia do português de São Tomé: a entoação do contorno neutro. 2018. Dissertação (Mestrado em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

BRANDÃO, S. F.; MOTA, M. A.; CUNHA, C. S. Um estudo contrastivo entre o português europeu e o português do Brasil: o –R final de vocábulo. In: BRANDÃO, S.; MOTA, M. A. (org.). Análise contrastiva de variedades do português. Rio de Janeiro: In-Fólio, 2003.

BRANDÃO, S. F.; PESSANHA, D.; PONTES, S.; CORRÊA, M. Róticos na variedade urbana do português de São Tomé. PAPIA, v. 27, n. 2, p. 293-315, jul./dez. 2017.

BROD, L. E. A lateral nos falares orianopolitano (PB) e portuense (PE): casos de gradiência fônica. 2014. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

CALLOU, D.; SERRA, C. Variação do rótico e estrutura prosódica. Revista do GELNE, v. 14, n. esp., p. 41-58, 2012.

CALLOU, D.; LEITE, Y.; MORAES, J. Variação e diferenciação dialetal: a pronúncia do /r/ no português do Brasil. In: KOCH, I. G. V. Gramática do Português Falado. Campinas: Editora da Unicamp/FAPESP, 1994. p. 465-493.

CÂMARA JR, J. M. Estrutura da Língua Portuguesa. Petrópolis: Vozes, 1970.

CHRISTOFOLETTI, A. Ditongos no português de São Tomé e Príncipe. 2013. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

CHRISTOFOLETTI, A.; ARAUJO, G. Vogais e Ditongos no Português Vernacular de São Tomé e Príncipe. In: OLIVEIRA, M. S. D.; ARAUJO, G. A. (org.). O Português na África Atlântica. São Paulo: Humanitas/Fapesp, 2018. p. 258-296.

FIGUEIREDO, C. A concordância plural variável no sintagma nominal do português reestruturado da comunidade de Almoxarife, São Tomé. 2010. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade de Macau, Macau, 2010.

GOLDSMITH, J. A. Syllable Structure. In: GOLDSMITH, J. Autosegmental and metrical phonology. Nova Jersey: Wiley-Blackwell Publishing, 1990. p. 103-140.

GONÇALVES, R. Propriedade de Subcategorização verbal no português de S. Tomé. 2010. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2010.

HORA, D.; PEDROSA, J.; CARDOSO, W. Status da consoante pós-vocálica no português brasileiro: coda ou onset com núcleo não preenchido foneticamente? Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 45, n. 1, p. 71-79, 2010.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA (INE). 2011. São Tomé e Príncipe em Números. São Tomé: 2001. Disponível em: http://http://www.ine.st/2012.html. Acesso em: 12 fev. 2020.

LADEFOGED, P.; JOHNSON, K. A Course in Phonetics. Canadá: Wadsworth, 2011.

LEE, S. H. Sobre a formação de diminutivo do português brasileiro. Revista de Estudos da Linguagem, v. 8, n. 1, p. 113–124, 1999.

LEE, S. H. Interface Fonologia-Morfologia: Diminutivos no PB. Revista Diadorim, n. esp., p. 113-125, 2013.

MATEUS, M. H. Estudando a melodia da fala: traços prosódicos e constituintes prosódicos. In: Encontro sobre o Ensino das Línguas e a Linguística APL e ESE de Setúbal, Setúbal, Portugal, 2004.

MATEUS, M. H.; D’ANDRADE, E. The Phonology of Portuguese. Oxford: Oxford linguistics, 2000.

MATEUS, M. H.; RODRIGUES, C. A vibrante em coda no Português Europeu. Actas do XIX Encontro, 2004.

QUEDNAU, L. R. A lateral pós-vocálica no português gaúcho: análise variacionista e representação não-linear. 1993. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1993.

RODRIGUES, M. C. Todas as codas são frágeis em português europeu? Revista LinguíStica / Revista do Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 211-227, 2012.

TASCA, M. A lateral em coda silábica no sul do Brasil. 2011. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

VIGÁRIO, M. The Prosodic Word in European Portuguese. Berlin-New-York: Mouton de Gruyter, 2003.

ULRICH, C. W.; SCHWINDT, L. C. O status morfoprosódico dos sufixos ‑inho/‑zinho, ‑mente e ‑íssimo no português brasileiro. D.E.L.T.A, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 769-788, 2018.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i2.2490

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)