Aposições restritivas e não restritivas: correlações pragmáticas e semânticas

Monielly Saverio Serafim, Roberto Gomes Camacho

Resumo


Este trabalho se debruça sobre o estudo das aposições restritivas e não restritivas no português escrito. Entende-se por aposições restritivas SNs como o poeta Drummond, a cor azul, FHC presidente e a cidade de São Paulo, o conceito de proletariado, o mês de janeiro. Por aposições não restritivas, entendem-se as construções prototípicas de aposição como Machado de Assis, o bruxo de Cosme Velho. O objetivo geral é aplicar critérios de formulação e de codificação que distingam essas aposições com base numa correlação entre aposições restritivas e construções classificacionais e entre aposições não restritivas e construções identificacionais cujos fundamentos teóricos se assentam na Gramática Discursivo-Funcional (HENGEVELD; MACKENZIE, 2008).


Palavras-chave


aposição; aposição restritiva; aposição não restritiva; construção identificacional; construção classificacional.

Texto completo:

PDF

Referências


BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CUNHA, C.; CINTRA, L. F. L. Nova gramática do português contemporâneo. 5. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2008.

FRANCIS, W. N. The structure of American English. New York: Ronald, 1958.

HENGEVELD, K. Introduction: transparency in Functional Discourse Grammar. Linguistics in Amsterdam, Amsterdam, v. 4, n. 2, p. 1-22, 2011.

HENGEVELD, K.; MACKENZIE, J. L. Functional Discourse Grammar: a typologically-based theory of language structure. Oxford: Oxford University Press, 2008.

HOCKETT, C. F. Attribution and apposition in English. American Speech, Durham, v. 30, p. 99-102, 1955.

KEIZER, E. Close appositions. In: GROOT, C.; HENGEVELD, K. (ed.). Morphosyntactic expression in Functional Grammar. Berlin: Mouton de Gruyter, 2005. p. 381-418.

KURY, A. G. Novas lições de análise sintática. São Paulo: Ática, 2011.

LAGO, J. A special type of nonrestrictive modification: the apposition. Verba: anuario galego de filoloxía, Santiago Compostela, v. 18, p. 487-520, 1991.

LEMSON, T. M. S. C. Aposições restritivas no português brasileiro escrito contemporâneo: análise e formalização no modelo da gramática discursivo-funcional. 2016. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

LONGRÉE, D. Les compléments du nom en latin classique: syntaxe, sémantique et pragmatique. Cahiers de L’Institut de Linguistique de Louvain, Louvain, v. 13, n. 1/2, p. 163-230, 1987.

MATTHEWS, P. H. Syntax. Cambridge: Cambridge University Press, 1981.

MAURER JUNIOR, T. H. Gramática do latim vulgar. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1959.

MEYER, C. F. Apposition in Contemporary English. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

NOGUEIRA, M. T. Propriedades textuais-discursivas da aposição não restritiva. In: SOUZA, E. R. Funcionalismo linguístico: análise e descrição. São Paulo: Editora Contexto, 2012. p. 147-169.

NOGUEIRA, M. T. Construção apositiva e recategorização metafórica. Veredas, Juiz de Fora, v. 15, n. 2, p. 179-189, 2011.

NOGUEIRA, M. T. A aposição não-restritiva em textos do português contemporâneo escritos no Brasil. 1999. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 1999.

QUIRK, R. S. et al. A comprehensive grammar of the English language. London: Longman, 1985.

RAPOSO, E. B. P.; NASCIMENTO, M. F. B. Nomes próprios. In: RAPOSO, E. B. P.; NASCIMENTO, M. F. B.; MOTA, M. A. C.; SEGURA, M.; MENDES, A. (org.). Gramática do português. Coimbra: Fundação Calouste Gulbenkian, 2013. v. 1. p. 993-1044.

RODRÍGUEZ, C. F. De nuevo sobre la aposición. Verba: anuario galego de filoloxía, Santiago Compostela, v. 16, p. 215-236, 1989.

ROSCH, E. H. Natural categories. Cognitive Psychology, New York, v. 4, p. 328-350, 1973.

SERAFIM, M. C. S. Aposições restritivas no português escrito. 2019. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São José do Rio Preto, 2019.

TABOADA, M. Relaciones sintácticas en el interior de la frase nominal: la aposición. Verba: anuario galego de filoloxía, Santiago Compostela, v. 5, p. 315-340, 1978.

TESNIÈRE, L. Éléments de syntaxe structurale. Paris: Librairie C. Klincksieck, 1965.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i2.2601

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)