Ênfases no ensino de escrita: tema, estilo e construção composicional em livros escolares de português

Cristian Henrique Imbruniz

Resumo


Este trabalho apresenta a análise de propostas de escrita de dezesseis livros escolares de português publicados no período de 1930 a 2002, no Brasil. Descartando qualquer suposição de que a noção de gênero do discurso (BAKHTIN, 2016) tenha sido mobilizada como instrumento didático naqueles livros, as propostas são descritas com base no conteúdo temático, no estilo e na construção composicional, elementos do gênero de discurso utilizados como ferramentas teórico-metodológicas, aqui apresentadas na análise do livro Português para o ginásio, de Cretela (1948). O objetivo do trabalho foi determinar qual desses elementos é o mais enfatizado nos livros do período. Os resultados indicam que, entre 1930 e 1960, predominou a ênfase no conteúdo temático e, a partir de 1970, na construção composicional.


Palavras-chave


livros escolares; escrita; propostas de escrita; dialogismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Ed. 34, 2016.

BATISTA, A. Um objeto variável e instável: textos, impressos e livros didáticos. In: ABREU, M. (org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas: Mercado das Letras/Fapesp/ALB, 1999. p. 529-576.

CEGALLA, D.; ROCHER, D. Português: 4ª série ginasial. Nacional, 1966.

CRETELA, J. Português para o ginásio: 3ª e 4ª séries. São Paulo: Nacional, 1948.

CORRÊA, M. Bases teóricas para o ensino da escrita. Ling. (dis)curso. v. 13, n. 3, p. 481-513, 2013.

CORRÊA, M. Relações intergenéricas na análise indiciária de textos escritos. Trab. Ling. Aplic., v. 45, n. 2, p. 205-224, 2006.

FREITAS, P. O nosso idioma: sintaxe das categorias gramaticais. São Paulo: Nacional, 1938.

FREITAS, M.; BICCAS, M. História social da educação no Brasil (1926-1996). São Paulo: Cortez, 2009.

GUILHAUMOU, J.; MALDIDIER, D. Efeitos do arquivo: a análise do discurso no lado da história. In: ORLANDI, E. (org.). Gestos de leitura: da história no discurso. Tradução Suzy Maria Lagazzi e José Horta Nunes. Campinas: Unicamp, 2014. p. 169-190.

MESERANI, S. O intertexto escolar: sobre leitura, aula e redação. São Paulo: Cortez, 1995.

IMBRUNIZ, C. Elementos para uma memória discursiva do ensino de escrita: livros escolares de português (1930-2002). 2019. Dissertação (Mestrado em Filologia e Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

IMBRUNIZ, C. Livros escolares e ensino de escrita: selecionando material entre a linguística e a história. Investigações, v. 31, n. 2, p. 429-457, 2018.

MAINGUENEAU, D. Cenas da enunciação. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MEDEIROS, R. Representações do ensino da leitura: as aulas de português na escola secundária brasileira (séculos XIX e XX). 2019. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2019.

PÊCHEUX, M. Discurso: estrutura ou acontecimento. Tradução Eni Orlandi. Campinas: Pontes, 2015.

RAZZINI, M. História da disciplina português na escola secundária brasileira. Tempos e Espaços em Educação, v. 4, p. 43-58, 2010.

SOARES, M. Português na escola: uma disciplina curricular. In: BAGNO, M. (org.). Linguística da norma. São Paulo: Edições Loyola, 2002. p. 155-177.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i2.2655

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)