Controvérsias na patologização e contradiscursos na afasia e na infância

Maria Irma Hadler Coudry

Resumo


O objetivo do texto é dar continuidade ao estudo da relação entre afasia e linguagem infantil, analisando, por um lado, controvérsias disponíveis na Internet sobre afasia e infância, e propondo, por outro, contradiscursos para avaliar e acompanhar afásicos e crianças com dificuldade de entrar na leitura/escrita. Os dados de fala e escrita, de afásicos e crianças, confirmam a hipótese clássica de Roman Jakobson e mostram que o encontro entre afasia e linguagem infantil se dá nos vários níveis de análise linguística, guiado pelo sentido e pelo contexto discursivo. Por fim, apresentamos experimentos com a linguagem, específicos para as modificações da linguagem na afasia e para crianças às voltas com a patologização, logo em sua escrita inicial.


Palavras-chave


Neurolinguística Discursiva; afasia; fala e escrita; patologização; ABA

Texto completo:

PDF

Referências


ABAURRE, M. B. Dados da escrita inicial: indícios de construção da hierarquia de constituintes silábicos? In: HERNANDORENA, C. L. M. Aquisição de língua materna e de língua estrangeira: aspectos fonético-fonológicos. Pelotas: EDUCAT/ALAB, 2001.

AGAMBEN, G. O que é contemporâneo? E outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

AMARAL, A. S.; FREITAS, M. C. C.; CHACON, L.; RODRIGUES, L. L. Omissão de grafemas e características da sílaba na escrita infantil. Revista CEFAC, v. 13, n. 5, p. 846-855, 2011.

ANTONIO, G. D. Da sombra à luz: a patologização de crianças sem patologia. 2011. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

BENVENISTE, E. Problèmes de Linguistique Générale. Paris: Gallimard, 1966.

BORDIN, S. M. S. Fala, Leitura e Escrita: encontro entre sujeitos. 2010. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

COUDRY, M. I. H. Diário de Narciso e Neurolinguística Discursiva: 30 anos depois. Cadernos De Estudos Linguísticos, v. 60, n. 2, p. 323-350, 2018.

COUDRY, M. I. H. Cômico e drama nas afasias. Língua, texto, sujeito e (inter)discurso – Homenagem a Sirio Possenti. São Carlos: Pedro & João, 2013. v. 1, p. 63-83.

COUDRY, M. I. H. Relatório de Pesquisa: Projeto Integrado em Neurolingüística: avaliação e banco de dados. CNPq/301726/2006-0, 65p. Impresso. 2010.

COUDRY, M. I. H. Despatologizar é preciso: a experiência do CCazinho. In: II Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa, 2009, Évora. Anais do II SIMELP, 2009. p. 97-117.

COUDRY, M. I. H. Patologia estabelecida e vivências com o escrito: o que será que dá? Anais do 7º Encontro Nacional sobre Aquisição da Linguagem, 2006 – ENAL. Porto Alegre: CDROM, 2007.

COUDRY, M. I. H. O que é dado em Neurolinguística? In: CASTRO, M. F. C. P. de (org.). O método e o dado no estudo da linguagem. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996. p. 179-194.

COUDRY, M. I. H. Neuropsicologia: aspectos biológicos e sociais. Temas em Neuropsicologia, São Paulo, v. 1, p. 57-38, 1993.

COUDRY, M. I. H. Diário de Narciso: discurso e afasia. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

COUDRY, M. I. H. Diário de Narciso: avaliação e acompanhamento longitudinal de linguagem de sujeitos afásicos de uma perspectiva discursiva. 1986. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1986.

COUDRY, M. I. H.; BORDIN, S. M. S. Afasia e infância: registro do (in)esquecível. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, v. 54, n. 1, p. 135-154, jan./jun. 2012.

COUDRY, M. I. H.; FREIRE, F. M. P. Fala e Leitura uma (re)entrada para a escrita. Cadernos de Estudos Linguísticos, Homenagem a Maria Bernadete Marques Abaurre, Campinas, v. 59.3, p. 565-579, set./dez. 2017.

COUDRY, M. I. H.; MAYRINK-SABINSON, M. L. Pobrema e dificulidade. In: ALBANO, E.; COUDRY, M. I. H.; POSSENTI, S.; ALKMIM, T. (org.). Saudades da Língua. Campinas: Mercado das Letras, 2003.

DE LEMOS, C. T. G. Das vicissitudes da fala da criança e de sua investigação. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, p. 41-69, jan./jun. 2002.

FOUCAULT, M. Arqueologia do Saber. Petrópolis: Vozes; Lisboa: Centro do Livro Brasileiro, 1969.

FRANCHI, C. Linguagem: atividade constitutiva. Cadernos de Estudos Linguísticos, n. especial, p. 37-74, 2002 [1977].

FREIRE, M. P. F. Enunciação e discurso: a linguagem de programação Logo no discurso do afásico. 1999. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

FREUD, S. A interpretação das afasias. Tradução Ramón Alcalde. Buenos Aires: Ediciones Nueva Visión, 1973 [1891].

GARCIA, B. L. O papel da interlocução e os efeitos dos recursos digitais na linguagem de um jovem afásico. 2018. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

GREGOLIN-GUINDASTE, R. M. O agramatismo: um estudo de caso em português. 1996. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

JACKSON, H. On the nature of the duality of the brain. Medical Press and Circular 1: 19, 41 and 63. Reprinted in Brain 38:80-86; 87-95; 96-103, 1915 [1894].

JAKOBSON, R. Langage enfantin et aphasie. Paris: Flammarion, 1980 [1941].

JAKOBSON, R. Dois aspectos da linguagem e dois tipos de afasia. In: JAKOBSON, R. Lingüística comunicação. São Paulo: Cultrix, 1975 [1956].

LURIA, A. R. O Desenvolvimento da Escrita na Criança. In: VYGOTSKY, L. S. et al. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone/EDUSP, 1988.

LURIA, A. R. Fundamentos de Neuropsicologia. São Paulo: EDUSP, 1981.

LURIA, A. R. Neuropsichological studies in afasia. Amsterdam: Swets & Zeitlinger, 1977.

MOUTINHO, I. C. N. À procura de um diagnóstico: uma análise neurolinguística. 2014. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.

MULLER, L. M. M. Sujeitos, histórias e rótulos: a leitura e a escrita de crianças e jovens diagnosticados com dislexia. 2013. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

SILVA, M. A. Sujeitos e Linguagem na Síndrome do X-Frágil. 2014. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.

NOVAES-PINTO, R. Agramatismo: uma contribuição para o estudo do processamento normal da linguagem. 1992. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992.

VYGOTSKY, L. S. Psicologia Pedagógica. São Paulo: Martins Fontes, 2004 [1926].




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i1.2685

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)