Grau de auxiliaridade da microconstrução [deixar+de+V2inf.] no português arcaico

José Roberto Prezotto Júnior

Resumo


Propomos investigar, com base na abordagem construcional (TRAUGOTT; TROUSDALE, 2013), a microconstrução aspectual [deixar+de+V2inf.] no português arcaico (séculos XIII-XV). Para análise, utilizamos o Corpus do Português (DAVIS; FERREIRA, 2006, 2016) e cotejamos parâmetros fundamentados nos estudos clássicos de verbo auxiliar. No período estudado, a microconstrução, sob a forma [leixar+de+V2inf.], apresenta índices de auxiliaridade e marca aspecto final (terminativo e cessativo). Além disso, ela é parcialmente esquemática, pela recorrência de elementos entre seus componentes, parcialmente produtiva, por ainda estar expandindo seus arranjos colocacionais, e não composicional, pela codificação de seus elementos como um chunk procedural. 


Palavras-chave


auxiliaridade; verbo “deixar”; português arcaico

Texto completo:

PDF

Referências


BARDDAL, J. Productivity: Evidence from case and argument structure in Icelandic. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2008.

BOAS, H. C. Resolving form-meaning discrepancies. In: LEINO, J. (ed.). Constructional Reorganization. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2008. p. 11-26.

CASTILHO, A. Aspecto verbal no Português falado. In: ABAURRE, M. B.; RODRIGUES, A. C. S. (org.). Gramática do Português Falado. v. VIII. Campinas: Editora da UNICAMP, 2002. p. 83-121.

COMRIE, B. Aspect: an introduction to the study of verbal aspect and related problems. Cambrigde: Cambrigde University Press, 1976.

DAVIS, M.; FERREIRA, M. Corpus do Português: 45 milhões de palavras, 1300s-1900s, 2006, 2016. Disponível em: http://www.corpusdoportugues.org. Acesso em: 15 ago. 2018.

DIK, S. C. The theory of functional grammar. Berlin: Mouton de Gruyter, 1989. pt. 1.

FERREIRO, M. Glosario da poesía medieval profana galego-portuguesa. Universidade da Coruña, 2014. Disponível em: http://glossa.gal. Acesso em: 13 mar. 2019.

HEINE, B. Auxiliaries: cognitive forces and grammaticalization. New York: Oxford University Press, 1993.

ILARI, R.; BASSO, R. M. Classes de palavras e processos de construção. 3. O verbo. In: NEVES, M. H. M.; ILARI, R. (org.). Gramática do Português Falado Culto no Brasil. v. II Campinas: Editora da Unicamp, 2008. p. 163-365.

LANGACKER, R. W. Foundations of cognitive grammar: theoretical prerequisites. Stanford, California: Stanford University Press. v. I, 1987.

LANGACKER, R. Cognitive Grammar: a basic introduction. New York: Oxford University Press, 2008.

LOBATO, L. M. P. Os verbos auxiliares em Português contemporâneo. Critérios de Auxiliaridade. In: LOBATO, L. et al. Análises Linguísticas. Petrópolis: Vozes, 1975. p. 27-91.

LONGO, B. O.; CAMPOS, O. S. A auxiliaridade: perífrases de tempo e de aspecto no Português falado. In: ABAURRE, M. B. M., RODRIGUES, A. C. S. (org.). Gramática do Português Falado. v. VIII: Novos estudos descritivos. Campinas: Editora da UNICAMP, 2002. p. 445-497.

METTMANN, W. Glossário. In: AFONSO X, O SÁBIO. Cantigas de Santa Maria. v. I e II. Coimbra: Universidade, 1972.

SANKOFF, D.; TAGLIAMONTE, S.; SMITH, E. Goldvarb X: A variable rule application for Macintosh and Windows. Department of Linguistics, University of Toronto, 2005.

TRAUGOTT, E. C.; TROUSDALE, G. Constructionalization and Constructional changes. Oxford: Oxford University Press, 2013.

TRAVAGLIA, L. C. O aspecto verbal no português: a categoria e sua expressão. 5. ed. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, 2014.

XAVIER, M. F.; VICENTE, G.; CRISPIM, M. L. (org.). Dicionário de Verbos Portugueses do Século 12 e 13/14. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 2003. Disponível em: http://cipm.fcsh.unl.pt. Acesso em: 13 mar. 2019.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i1.2700

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)