Análise das formas verbais imperativas nas Cantigas de Santa Maria

Gisela Sequini Favaro

Resumo


Esta pesquisa tem como objetivos principais o mapeamento e a análise das formas verbais imperativas no português arcaico (PA). Serão consideradas como objeto de estudo as formas do imperativo e o contexto em que estão conjugadas em PA. A metodologia para o desenvolvimento deste projeto é constituída pela coleta e análise dos dados nas Cantigas de Santa Maria. A relevância desta pesquisa reside, principalmente, em analisar a estruturação morfológica do imperativo, ainda não estudada no que se refere à constituição verbal da época medieval. Através deste trabalho, pretendemos mostrar se o imperativo no PA já funcionava como modo independente ou não, ajudando, dessa maneira, a compreender um pouco mais da história do idioma.

 


Palavras-chave


linguística histórica; modo imperativo; português arcaico

Texto completo:

PDF

Referências


ALI, S. M. Gramática histórica da língua portuguesa Brasília: UnB,1964.

BLOMFIELD, L. Language. Chicago: The University of Chicago Press, 1984.

CÂMARA Jr., J. M. Dicionário de filologia e gramática referente à língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: J. Ozon, 1964.

CÂMARA Jr., J. M. História e estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Vozes, 1976 [1970].

COUTINHO, I. L. de. Gramática histórica. 4. ed. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1958.

FARACO , C. A. The imperative sentence in Portuguese: a semantic and historical discussion. 1982. Tese (Doutorado) – University of Salford, Manchester. 1982.

FARIA, E. Gramática superior da Língua Latina. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1958.

FERREIRA, M. P. The Stemma of the Marian Cantigas: Philogical and Musical Evidence. Bulletin of the Cantigueiros de Santa Maria, Cincinnati, n. 6, p. 58-98, 1994.

FILGUEIRA VALVERDE, J. Introducción. In: ALFONSO X EL SABIO. Cantigas de Santa María. Códice Rico de El Escorial. Madrid: Castalia. p. 11-63, 1985.

KEHDI, V. Morfemas do português. São Paulo: Ática, 2003.

LEÃO, Â. V. Questões de linguagem nas Cantigas de Santa Maria, de Afonso X. Ensaios – Associação Internacional de Lusitanistas (AIL), 2002. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2005.

MAIA, C. História do galego-português. 2. ed. Coimbra: Fundação Calouste Gulbenkian/ Junta de Investigação Científica e Tecnológica,1997 [1986].

MATTOS E SILVA, R. V. Estruturas trecentistas: elementos para uma gramática do Português Arcaico. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1989.

MATTOS E SILVA, R. V. O português arcaico: fonologia. São Paulo: Contexto, 2001.

MAURER JUNIOR, T. H. Gramática do latim vulgar. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1959.

MENON, O. P da S. O imperativo no Português do Brasil. 1984. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade do Paraná, Curitiba. 1984.

METTMANN, W. Glossário. In: AFONSO X, O SÁBIO. Cantigas de Santa Maria. Coimbra: Universidade, 1972. (Glossário, v. 4).

MICHAËLIS DE VASCONCELOS, C. Lições de filologia portuguesa (segundo as preleções feitas aos cursos de 1911/12 e de 1912/13) Seguidas das Lições Práticas de Português Arcaico. São Paulo: Martins Fontes, 1946 [1912-1913].

MONTEIRO, J. L. Morfologia portuguesa. Campinas: Pontes, 2002.

O’ CALLAGHAN, J. F. Alfonso X and the Cantigas de Santa Maria: a poetic biography. Leiden; Boston; Koln: Brill, 1998.

PARKINSON, S. As Cantigas de Santa Maria: estado das cuestións textuais. Anuario de estudios literarios galegos, Vigo, p. 179-205, 1998.

PENA, X. R. Literatura galega medieval. Santiago de Compostela: Gotelo Blanco, 1992.

PERINI, M. A. Gramática do português brasileiro. São Paulo: Parábola Editorial, 1996.

PONTES, E. Estrutura do verbo no português coloquial. Petrópolis: Vozes, 1972.

ROCHA, L. C. A. de. Estruturas morfológicas do Português. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1999.

ROSA, M. C. Introdução à morfologia. São Paulo: Contexto, 2000.

SCHERRE , M. M. P. Uma reflexão sociolinguistica sobre o conceito de erro. In: BAGNO, M. (Org.) Linguística da norma. São Paulo: Loyola, 2002. p. 217-230.

SILVA NETO, S. da História da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Livros de Portugal, 1952.

STAVROU, C. Portuguese pronouns and command forms. Hispania: American Association of Teachers of Spanish and Portuguese, 1973. p. 92-93.

VILELA, M.; KOCH, I. V. Gramática da língua portuguesa: gramática da palavra, gramática da frase, gramática de texto. Coimbra: Livraria Almedina, 2001.

WILLIAMS, E. B. Do latim ao português. 3. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1973.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)