O refinamento da construção do sentido: um estudo das expressões de espaço e movimento

Paulo Henrique Duque

Resumo


Neste artigo, verificamos em que medida a simulação mental pode capturar as sutilezas da linguagem ao conectar conhecimentos linguísticos a experiências sensório-motoras. Em linhas gerais, os resultados demonstraram que a simulação se torna mais detalhada em função de pistas linguísticas fornecidas pelos enunciados e pelos padrões linguísticos analisados em termos de construções gramaticais; e pelas especificações semânticas resolvidas no contexto comunicativo em curso durante a leitura/audição de narrativas. Neste estudo, analisamos expressões de lugar e de movimento. Para isso, recorremos a uma abordagem corporificada de gramática de construção, que nos permitiu identificar os tipos de imagens mentais construídas durante a análise de construções linguísticas de espaço e movimento e como os elementos que integram esses esquemas se conectam durante o processo de simulação mental.


Palavras-chave


semântica cognitiva; gramática de construção; expressões de espaço e movimento

Texto completo:

PDF

Referências


BAILEY, David. When push comes to shove: a computational model of the role of motor control in the acquisition of action verbs. Unpublished Ph.D. Dissertation, Computer Science Division, UC Berkeley, 1997.

BARSALOU, Lawrence. Perceptual symbol systems. Behavioral and Brain Sciences, Cambridge, v. 22, p. 637-660, Jul.1999.

BERGEN, Benjamin. Louder than words: the new science of how the mind makes meaning. New York: Basic Books, 2012.

BERGEN, Benjamin; CHANG, Nancy. Embodied construction grammar in simulation-based language understanding. In: OSTMAN, Jan-Ola; FRIED, Mirjan (Ed.), Construction grammars: Cognitive grounding and theoretical extensions. Amsterdam: John Benjamins, 2005. p. 147-190.

CHANG, Nancy; BERGEN, Benjamin K. Constructions as structured dependencies and constraints in a simulation-based framework. ICSI Technical Report, 2005.

CHILTON, Paul. Introduction. In Vyvyan Evans and Paul Chilton (Eds.) Language, Cognition and Space: The State of the Art and New Directions (2 vol.). London: Equinox, 2007.

DUQUE, Paulo H. A integração entre affordances e restrições gramaticais no processo de compreensão de sentenças. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 1, p. 370-385, 2013.

DUQUE, Paulo H.; COSTA, Marcos A. Identidade, integração e imaginação: investigando a literatura fantástica. In: CONGRESSO LINGUÍSTICA E COGNIÇÃO, 5., 2012, Florianópolis. Anais..., 2012a. v. 1. p. 109-114.

DUQUE, Paulo H.; COSTA, Marcos A. Linguística Cognitiva: em busca de uma arquitetura de linguagem compatível com modelos de armazenamento e categorização de experiências. 1. ed. Natal: Editora da UFRN, 2012b. v. 300. 218p.

DUQUE, Paulo H.; COSTA, Marcos A. Gramática de Construções e Simulação Mental: Construindo sentidos e arquitetando contextos. In: MOURA, Heronides; GABRIEL, Rosângela (Org.). A cognição na linguagem. Florianópolis: Insular, 2012d. p. 115-143.

GOLDBERG, Adele E. Constructions: a construction grammar approach to argument structure. Chicago: University of Chicago Press, 1995.

JOHNSON, Mark. The body in the mind: the bodily basis of meaning, imagination, and reason. Chicago: University of Chicago Press, 1987.

LAKOFF, George. Women, fire, and dangerous things. Chicago: University of Chicago Press, 1987.

LANGACKER, Ronald. Concept, image, and symbol. New York: Mouton de Gruyter, 1991.

NARAYANAN, Srini. KARMA: knowledge-based active representations for metaphor and aspect. Ph.D. Dissertation, Computer Science Division, University of California, Berkeley, 1997.

REGIER, Terry. The human semantic potential. Cambridge: MIT Press, 1996.

ZWAAN, Rolf. Situation models: the mental leap into imagined worlds. Current Directions in Psychological Science, v. 8, ed. 1, p. 15-18, fev. 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)