Os sentidos atribuídos à palavra ‘escola’: lembranças das primeiras experiências discentes no ambiente da educação formal

Elisabeth Ramos da Silva, Maria José Milharezi Abud

Resumo


Apresentamos uma pesquisa realizada com 23 professores de língua portuguesa, em uma cidade do interior paulista. O objetivo foi investigar as lembranças de suas primeiras experiências no ambiente escolar, para identificar os fatores que os faziam apreciar, ou não, a escola. Consideramos as ideias de Vygotsky quanto à intrínseca relação entre cognição e afetividade, bem como os construtos da análise de conteúdo bardiniana. Para alcançarmos nosso objetivo, solicitamos aos sujeitos que respondessem às questões: Quando você era criança, gostava de ir à escola? Por quê? De quais fatores você (não) gostava? Pela análise das respostas, pudemos notar os diferentes sentidos que a palavra escola representou para eles. Cremos que tais resultados sinalizam fatores importantes que contribuirão para que a escola ofereça um aprendizado prazeroso e significativo.

 


Palavras-chave


formação de professores; cognição e afetividade; conceito de perezhivanie

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2010. 281 p.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Escola. In: Novo Dicionário Aurélio eletrônico versão 6.0. 4. ed. Curitiba: Positivo, 2009.

JUSTO, José Sterza. Escola no epicentro da crise social. In: LA TAILLE, Yves de; PEDRO-SILVA, Nelson; JUSTO, José Sterza. (Org.) Indisciplina/disciplina: ética, moral e ação do professor. Porto Alegre: Mediação, 2010. p. 23-53.

MARTINS, Maria José D. O problema da violência escolar: uma clarificação e diferenciação de vários conceitos relacionados. Revista Portuguesa de Educação, Universidade do Minho, Braga, Portugal, v. 18, n. 1, p. 93-115, 2005. Disponível em: . Acesso em: 18 jun. 2012.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, RS, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2012.

OLIVEIRA, Marta Kohl de. O problema da afetividade em Vygotsky. In: LA TAILLE, Yves de; OLIVEIRA, Marta Kohl de; DANTAS, Heloysa. Piaget, Vygotsky e Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. 16. ed. São Paulo: Summus, 1992. p. 75-84.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo:

Martins Fontes, 2001. 496 p.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984. 168 p.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. The problem of the environment. In: VAN DER VEER, René; VALSINER, Jaan. The Vygotsky Reader. Oxford: Blackwell Publisher, 1994. p. 338-354. [1934. This was the fourth lecture published in Vygotsky, L. S. 1935: Foundations of Paedology (p. 58-78). Leningrad: Izdanie Instituta. The chapter heading is our invention. In reality, the chapters (or rather, lectures) were simply numbered] Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)