Um habitus para a tradução da mestiçagem brasileira de Darcy Ribeiro em língua inglesa: estudo baseado no corpus das obras O povo brasileiro e The Brazilian people

Talita Serpa

Resumo


Com o propósito de investigar o habitus tradutório no tocante aos conceitos de “mestiçagem” propostos por Darcy Ribeiro, analisamos um corpus paralelo composto pela obra O povo brasileiro (1995) e pela respectiva tradução para o inglês, realizada por Rabassa. Para tanto, adotamos o arcabouço dos Estudos da Tradução Baseados em Corpus (BAKER, 1995, 1996; CAMARGO, 2005, 2007), da Linguística de Corpus (BERBER SARDINHA, 2004), da Sociologia da Tradução (SIMEONI, 1998; GOUANVIC, 1995, 1999) e, em parte, da Terminologia (BARROS, 2004). Notamos que, partindo da terminologização das teorias darcynianas, ocorre a formulação de um habitus que circunscreve o uso de termos voltados à mistura racial brasileira, assim como verificamos quais os fatores observados pelo tradutor para compor seu próprio

comportamento.


Palavras-chave


Estudos da Tradução Baseados em Corpus; Linguística de Corpus; terminologia antropológica; Darcy Ribeiro; mestiçagem; habitus tradutório

Texto completo:

PDF

Referências


ALUÍSIO, S. et al. The Lacio-Web Project: overview and issues in Brazilian Portuguese corpora creation. Corpus Linguistics, Lancaster, Inglaterra, v. 16, p. 14-21, 2003.

AKOUN, A. Dicionário de Antropologia: do homem primitivo às sociedades actuais. Tradução de Germiniano Cascais Franco. Lisboa: Verbo, 1983.

BARROS, L. A. Curso básico de Terminologia. São Paulo: USP, 2004.

BAKER, M. Linguística e estudos culturais: paradigmas complementares ou antagônicos nos estudos da tradução? In: MARTINS, M. A. P. (Org.). Tradução e multidisciplinaridade. Rio de Janeiro: Lucena, 1999. p. 15-34.

BAKER, M. Corpus-based translation studies: the challenges that lie ahead. In: SOMERS, H. (Ed.). Terminology, LSP and translation studies in language engineering in honour of Juan C. Sager. Amsterdam: John Benjamins, 1996. p. 177-186.

BAKER, M. Corpora in translation studies: an overview and some suggestions for future research. Target, Amsterdam, v. 7, n. 2, p. 223-243, 1995.

BAKER, M. Corpus linguistics and translation studies: implications and applications. In: BAKER, M.; FRANCIS, G.; TOGNINI-BONELLI, E. (Org.). Text and technology: in honour of John Sinclair. Amsterdam: John Benjamins, 1993. p. 233-250.

BAKER, M. In other words: a coursebook on translation. Routledge: London and New York, 1992.

BERBER SARDINHA, T. Linguística de Corpus. Barueri, SP: Manole, 2004.

BOURDIEU, P. Ce que parler veut dire. L’économie des échanges linguistiques. Paris: Fayard, 1982.

BOURDIEU, P. Questions de sociologie. Paris: Éd. de Minuit, 1980.

CÂMARA CASCUDO. Dicionário do folclore brasileiro. 3. ed. Rio de Janeiro: INL, 1972 [1954].

CAMARGO, D. C. Metodologia de pesquisa em tradução e linguística de corpus. São Paulo: Cultura Acadêmica / São José do Rio Preto: Laboratório Editorial, 2007. Coleção Brochuras, v. 1. 65p.

CAMARGO, D. C. Padrões de estilo de tradutores: um estudo de semelhanças e diferenças em corpora de traduções literárias, especializadas e juramentadas. 2005. 512 f. Tese (Livre-Docência em Tradução) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2005.

EVEN-ZOHAR, I. The position of translated literature within the literary polisystem. In: HOLMES, J.; LAMBERT, J.; VAN DEN BROECK, R. (Ed.). Literature and translation. Leuven: ACCO, 1978. p. 117-127 [Versão revisada em VENUTI, L. (Ed.). The translation studies reader. London/New York: Routledge, 2000. p. 199-204].

FAULSTICH, E. Variação em terminologia: aspectos de socioterminologia. In: RAMOS,G.G.; LAGOS, M.F.P. (Coord.) Panoraman actual de La terminologia. Granada: Interlíngua, Editorial Comares, 2002. p. 65-91.

FAULSTICH, E.Duas questões em discussão: o que são brasileirismos nos dicionários de Língua Portuguesa? Existem brasileirismo terminológicos? In: Jornada sobre “Variacion Geolectal i Terminologia” Red Panlatina de Terminologia Realiter/IULAterm/Institut Universitari de Linguistica Aplicada. Barcelona, Espanha, 24 de novembro de 2004.

FAIRCHILD, H. P. (Org.) Dictionary of Sociology, Ames: Littlefield, 1955.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Dicionário de Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1986.

FREYRE, G. Casa-grande e senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Rio de Janeiro: Maia & Schmidt, 1933.

GOUANVIC, J. Pour une sociologie de la traduction: le cas de la littérature américaine traduite en France après la Seconde Guerre mondiale (1945-1960). In : SNELL-HORNBY, M.; JETTMAROVÁ, Z.; KAINDL, K. (Eds). Translation as Intercultural Communication: selected papers from the EST Congress Prague. Amsterdam and Philadelphia: John Benjamins, 1995, p. 33-44.

GOUANVIC, J. Sociologie de la traduction: la science-fiction américaine dans l’espace culturel français des annés 1950. Arras : Artois Presses Université, 1999.

GOUANVIC, J. The Stakes of Translation in Literary Fields. Across Languages and Cultures, v. 3, n. 2, 2002, p. 159-168.

GOUANVIC, J. A Bourdieusian Theory of Translation, or the Coincidence of Practical Instances: Field, ‘Habitus’, Capital and ‘Illusio’. The Translator, v. 11, n. 2, p.147-166, 2005. Special Issue. Bourdieu and the Sociology of Translation and Interpreting.

HOOTON, E. A. Up from Ape. 2. ed. New York: Macmillan, 1946.

KROGMAN, W. M. The concept of race. Linton: [s.n.], 1945.

LAVIOSA, S. Corpus-based translation studies: theory, findings, applications. Amsterdã/ Atlanta: Rodopi, 2002.

MURDOCK, G. P. Social Structure. New York: Macmillan, 1949.

PATHAK, L. P. Sociological concepts and terminology. New Delhi: Anmol Publications PVT Ltda., 1998.

RIBEIRO, D. The Brazilian People: formation and meaning of Brazil. Translated by Gregory Rabassa. Gainesville: University Press of Florida, 2000.

RIBEIRO, D. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SIMEONI, D. The Pivotal Status of the Translator’s Habitus. Target, v. 10, n. 1, p. 1-39, 1998.

SIMEONI, D. Translation and Society: The Emergence of a Conceptual Relationship. In: ST-PIERRE, P.; KAR, P.C. In Translation: Reflections, Refractions, Transformations. Amsterdam and Philadelphia: John Benjamins, 2007. p. 13-27.

SINCLAIR, J. Corpus, concordance and collocation. Oxford: Oxford University Press, 1991.

TOURY, G. The nature and role of norms in literary translation. In: HOLMES, J.; LAMBERT, J.; VAN DEN BROECK, R. (Ed.). Literature and translation. Leuven: ACCO, 1978. p. 83-100. [Versão revisada em VENUTI, L. (Ed.). The translation studies reader. London/New York: Routledge, 2000. p. 198-211].

WINICK, C. Dictionary of Anthropology. London: Peter Owell, 1961.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)