Apropriação do discurso sobre os conceitos teóricos na escrita acadêmica

Elza Maria Silva de Araújo Alves

Resumo


O presente estudo busca analisar marcas linguísticas de apropriação do discurso do outro mobilizado sobre os conceitos teóricos na escrita de quatro dissertações de mestrado selecionadas do Domínio Público – Capes e defendidas nos anos de 1979, 1989, 2000 e 2011. Analisamos à luz da Teoria da Enunciação, mais precisamente da heterogeneidade enunciativa do dizer, proposta por Authier-Revuz (1998, 2004), no que se refere ao campo do dialogismo; e, a partir do conceito de ethos defendido por Maingueneau (2011), no que diz respeito à personalidade que o enunciador assume ao pronunciar um discurso. Os resultados demonstram que ao se apropriar do discurso sobre conceitos teóricos, o pesquisador interage com o discurso do outro e elabora sua escrita com traços de um dizer que, no princípio, não lhe pertencia. Mas, a partir do momento em que há o processo dialógico, o discurso produzido em forma escrita pode ser apropriado por aquele que escreve. Nesse processo dialógico, o pesquisador também pode tomar uma posição de fiador do discurso alheio quando usa o discurso do outro como forma de sustentação para o seu dizer.


Palavras-chave


Apropriação de conceitos; dialogismo; escrita

Texto completo:

PDF

Referências


AUTHIER-REVUZ, J. A. Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Tradução de Leci Borges Barbisan e Valdir do Nascimento Flores. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

AUTHIER-REVUZ, J. A. Palavras incertas: as não-coincidências do dizer. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1998.

AUTHIER-REVUZ, J. A. Paradas sobre Palavras: a língua em prova na enunciação e na escrita. Educ. Real, Porto Alegre, v. 36, n. 3, p. 651-679, set./dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2012.

AUTHIER-REVUZ, J. A. Heterogeneidade(s) enunciativa(s). Tradução de Celene M. Cruz e João Wanderley Geraldi. Cadernos de Estudos Linguísticos, Campinas, n. 19, p. 25-42, jul./dez. 1990.

BAGNO, M. Língua moderna: letramento, variação & ensino. São Paulo: Parábola, 2001.

BAKHTIN, M.; VOLOSHINOV, V. N. Marxismo e Filosofia da Linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara F. Vieira. São Paulo: Mussite, 1995.

BRAIT, B. Bakhtin: outros conceitos chave. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2012.

CALVET, L. Sociolinguística: uma introdução crítica. Tradução de Marcos Marcionilo. 4. ed. São Paulo: Parábola, 2009.

FARACO, C. A. Linguística histórica: uma introdução ao estudo da história das línguas. São Paulo: Parábola, 2005.

MAINGUENEAU, D. Análise de textos de comunicação. Tradução de Cecília P. de Souza e Silva e Décio Rocha. 6. ed. São Paulo: Cortez; 2011.

MAINGUENEAU, D. Novas Tendências em Análises do Discurso. Tradução de Freda Indursky. 3. ed. Campinas, SP: Pontes; Editora da Universidade Estadual de Campinas, 1997.

PÊCHEX, M. Semântica do discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução de Eni Pulcinelli Orlandi et al. 4. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2010.

RODRIGUES, S.G.C. Questões de dialogismo: o discurso científico, o eu e os outros. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)