Uma análise discursiva da designação fake e de suas formas de variação em blogs de moda da atualidade

Leonardo Perez, Luzmara Curcino

Resumo


No presente trabalho, e baseados na perspectiva teórico-metodológica da análise do discurso, buscamos analisar certas variações nas formas de designação de produtos falsificados empregadas em diferentes blogs que se ocupam do tema ‘moda’. Em nossa análise dessas variações, a saber: fake, falso, pirata, cópia, réplica, inspired, etc., nos valemos do princípio discursivo, segundo o qual uma mesma palavra empregada em textos diversos pode apresentar o mesmo significado ou pode, ao contrário, obter significados muito distintos dependendo de seu funcionamento discursivo nos textos. Ou seja, dependendo das relações parafrásticas que essa palavra estabelece no conjunto dos demais enunciados que constituem os textos.


Palavras-chave


Análise de discurso; moda; designações; produtos falsificados

Texto completo:

PDF

Referências


BAUDOT, F. Moda do Século. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

BAUMAN, Z. A arte da vida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

BOURDIEU, P. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2007.

CERTEAU, M. Fazer com: usos e táticas. In: CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 1994.

DÉBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

LIPOVETSKY, G. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia da Letras, 2009.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas/SP: Editora da Unicamp, 1995.

SENNETT, R. O declínio do homem público: as tiranias da intimidade. São Paulo. Companhia das Letras, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)