Enunciação aforizante versus textualizante: notas sobre tensões estruturais e extratextuais

Roberto Leiser Baronas

Resumo


Neste trabalho, temos como objetivo tentar aprofundar a discussão acerca da aforização, proposta por Maingueneau (2010a; 2011; 2012a), descrevendo a tensão entre as “frases sem texto” e os textos que lhe dão guarida, bem como compreendendo de forma mais acurada outro tipo de tensão (a ideológica) entre a enunciação aforizante e outros textos que buscam questionar a sua pretensão de palavra absoluta. Para tanto, tomamos como corpus “frases monumentos” presentes tanto no documento da ação do Ministério Público Federal (MPF) que objetiva retirar das cédulas de reais a pequena frase “Deus seja louvado” como no texto do PL n. 2179/2003, do deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), que busca incluir a palavra “Amor” na bandeira brasileira.  


Palavras-chave


Discurso; gênero do discurso; enunciação aforizante e enunciação textualizante

Texto completo:

PDF

Referências


BARONAS, R. L. Enunciação aforizante: um estudo discursivo sobre pequenas frases na imprensa cotidiana brasileira. São Carlos: EdUFSCar/Fapesp, 2013.

ELIAS, N. O processo civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994. v. I.

MAINGUENEAU, D. Gênese dos discursos. Tradução de Sírio Possenti. Curitiba: Criar Edições, 2005.

MAINGUENEAU, D. Les énoncés détachés dans la presse écrite. De la surassertion à l’aphorisation. In: BONHOMME, M.; LUGRIN, G. (Éd.). Interdiscours et intertextualité dans les médias. Neuchâtel: Inst. de Linguistique, Universidade de Neuchâtel, 2006a. (Série Travaux Neuchâtelois de Linguistique, n. 44)

MAINGUENEAU, D. De la surassertion à l’aphorisation. In: LOPEZ-MUNOZ, J. M.; MARNETTE, S. ; ROSIER, L. (Dir.). Dans la jungle des discours: genres de discours et discours rapporté. Actes du colloque Ci-Dit 2004,. Cadix: Presses de l’Université de Cadix, 2006b.

MAINGUENEAU, D. Citação e destacabilidade. In: POSSENTI, S.; SOUZA-E-SILVA, M. C. P. de (Org.). Cenas da enunciação. Curitiba: Criar Edições, 2007.

MAINGUENEAU, D. Aforização: enunciados sem texto? In: POSSENTI, S.; SOUZA-E-SILVA, M. C. P. de. (Org.) Doze conceitos em análise do discurso. São Paulo: Parábola, 2010a.

MAINGUENEAU, D. Aphorisations politiques, médias et circulation des énoncés. 2010b. (no prelo).

MAINGUENEAU, D. A aforização proverbial e o feminino. In: MOTTA, A. R.; SALGADO, L. S. Fórmulas discursivas. São Paulo: Contexto, 2011.

MAINGUENEAU, D. Les phrases sans texte. Paris: Armand Colin, 2012a.

MAINGUENEAU, D. Texto, gênero de discurso e aforização. In: BRAIT, B.; SOUZA-E-SILVA, M. C. P. (Org.). Texto ou discurso? São Paulo: Contexto, 2012b.

MAINGUENEAU, D. Enunciação ligada, enunciação desatada. In: DI FANTI, M. G.; BARBISAN, L. B. Enunciação e discurso: tramas de sentido. São Paulo: Contexto, 2012c.

MAINGUENEAU, D. Argumentação e cenografa. In: BRUNELLI, A. F.; MUSSALIM, F.; FONSECA-SILVA, M. C. Língua, texto, sujeito e (inter)discurso. São Carlos: Pedro & João Editores, 2013.

MAINGUENEAU, D. Frases sem texto. Tradução de Sírio Possenti et al. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

PÊCHEUX, M. Discurso: estrutura ou acontecimento. Campinas: Pontes, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)