O espaço na literatura: um estudo do romance A ferro e fogo

Ivânia Campigotto Aquino

Resumo


Este artigo aborda questões relativas ao romance. Consiste num estudo da origem e dos elementos estruturais do gênero e da sua importação para o Brasil e o Rio Grande do Sul, destacando a principal característica que se observa na história da literatura gaúcha: a aproximação com imagens do passado. Como base de verificação dessa característica, selecionou-se o romance A ferro e fogo, de Josué Guimarães, o qual é analisado levando-se em consideração a forma, a temática e o seu pertencimento ao subgênero romance histórico. Ao se examinar a estruturação do discurso, observou-se que a história narrada se articula em torno de dois eixos nucleares: a família e o trabalho. Dentre as questões que surgem nesta análise destaca-se o encontro do épico e do dramático como ponto central na construção narrativa. 

 


Palavras-chave


gênero textual; romance; estrutura narrativa; colonização; etnia alemã.

Texto completo:

PDF

Referências


GUIMARÃES, J. A ferro e fogo: tempo de solidão. Rio de Janeiro: Sabiá, 1972. 228 p.

GUIMARÃES, J. A ferro e fogo: tempo de guerra. Rio de Janeiro: José Olympio, 1975. 272 p.

HOHLFELDT, A. Uma perspectiva protestante da colonização do Rio Grande. In: REMÉDIOS, M. L. (org.). Josué Guimarães: o autor e sua ficção. Porto Alegre: Edipucrs, 1997. p. 65-73.

LOTMAN, I. Estructura del texto artístico. Madrid: Akal Ediciones, 2011. 368 p.

MARTINS, D. S. A posição de Josué Guimarães na literatura sulina. In: REMÉDIOS, M. L. (org.). Josué Guimarães: o autor e sua ficção. Porto Alegre: Edipucrs, 1997. p. 17-26.

MORETTI, F. Atlas do romance europeu: 1800-1900. São Paulo: Boitempo, 2003. 216 p.

PAES, J. P. Canaã e o ideário modernista. São Paulo: Edusp, 1992. 120 p.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v45i3.650

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)