O modelo da linguística saussuriana é a democracia?

Leonardo Paiva Fernandes

Resumo


A partir do quadro teórico da História das Ideias Linguísticas (AUROUX, 2008, 2009; COLOMBAT; FOURNIER; PUECH, 2010; GUIMARÃES, 2004; ORLANDI; GUIMARÃES, 2002; PUECH, 2013), em diálogo com a Análise do discurso (GADET; PÊCHEUX, 2004; PÊCHEUX, 1998), analisamos formulações que dizem respeito à ciência e à linguística em O prazer do texto (BARTHES, 1987). Questionamos como Saussure retorna a Barthes em uma fase de descrença do modelo linguístico/semiológico saussuriano.


Palavras-chave


Análise do discurso; Ferdinand de Saussure; História das Ideias Linguísticas; Roland Barthes; semiologia.

Texto completo:

PDF PDF

Referências


ARRIVÉ, M. Em busca de Ferdinand de Saussure. São Paulo: Parábola Editorial, 2010. 253 p.

AUROUX, S. A questão da origem das línguas, seguido de A historicidade das ciências. Campinas: RG, 2008. 160 p.

AUROUX, S. A revolução tecnológica da gramatização. Campinas: Editora da UNICAMP, 2009. 142 p.

BARTHES, R. Ao leitor brasileiro. In: BARTHES, R. Elementos de semiologia. São Paulo: Cultrix, 1971a. p. 7-8.

BARTHES, R. Elementos de semiologia. São Paulo: Cultrix, 1971b. 116 p.

BARTHES, R. Le plaisir du texte. Paris : Éditions Du Seuil, 1973. 108 p.

BARTHES, R. O prazer do texto. São Paulo: Perspectiva, 1987. 86 p.

BARTHES, R. A aventura semiológica. In: A aventura semiológica. São Paulo: Martins Fontes, 2001a. p. XI-XVIII.

BARTHES, R. Saussure, o signo, a democracia. In: A aventura semiológica. São Paulo: Martins Fontes, 2001b. p. 169-175.

BARTHES, R. Literatura/Ensino. In: ______. O grão da voz: entrevistas, 1961-1980. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BARTHES, R. Aula. São Paulo: Cultrix, 2008. 89 p.

BOUQUET, S. Introdução à leitura de Saussure. São Paulo: Cultrix, 2000. 317 p.

CALVET, L.-J. Roland Barthes – Un regard politique sur le signe. Paris : Payot, 1973. 184 p.

CALVET, L.-J. Saussure: pró e contra. São Paulo: Cultrix, 1977. 111 p.

CHISS, J.-L.; PUECH, C. F. De Saussure et la constituition d’un domaine de mémoire pour la linguistique contemporaine. Langages, Paris, v. 28, n. 114, p. 41-53, 1994. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2015.

COLOMBAT, B.; FOURNIER, J.-M.; PUECH, C. Histoire des idées sur le langage et les langues. Paris : Klincksieck, 2010.

DUBOIS, J. et al. Dicionário de linguística. São Paulo: Cultrix, 1973. 653 p.

FERNANDES, L. P. Roland Barthes e a linguística saussuriana. Travessias, Cascavel, v.10, n.2, p. 121-130, 2015. Disponível em : . Acesso em: 04 abr. 2016.

GADET, F.; PÊCHEUX, M. A língua inatingível. Campinas: Pontes, 2004. 223 p.

GODEL, R. Les sources manuscrits du Cours de Linguistique Générale de F. de Saussure. Genève : Libraire Droz, 1969. 283 p.

GUIMARÃES, E. História da semântica: sujeito, sentido e gramática no Brasil. Campinas: Pontes, 2004. 142 p.

GUIRAUD, P. La semiologia. Buenos Aires: Siglo XXI, 1973. 133 p.

KRISTEVA, J. O texto e sua ciência. In: ______. Introdução à semanálise. São Paulo: Perspectiva, 2005a. p. 9-29.

KRISTEVA, J. Poésie et négativité. L’Homme, Paris, v. 8, n. 2, p. 36-63, 1968. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2015.

KRISTEVA, J. Por uma semiologia dos paragramas. In: ______. Introdução à semanálise. São Paulo: Perspectiva, 2005b. p. 97-131.

LEROY, M. As grandes correntes da linguística moderna. São Paulo: Cultrix/USP, 1971. 193 p.

MALDIDIER, D.; NORMAND, C.; ROBIN, R. Discurso e ideologia: bases para uma pesquisa. In: ORLANDI, E. (Org.). Gestos de leitura: da história no discurso. Campinas: Editora da UNICAMP, 2010. p. 61-98.

MILNER, J.-C. Retour à Saussure. In: ______. Le périple structural: figures et paradigme. Paris: Éditions Du Seuil, 2002. p. 15-43.

MOUNIN, G. Introduction à la semiologie. Paris : Éditions de Minuit, 1970. 248 p.

NORMAND, C. Saussure. Paris : Les Belles Lettres, 2004. 174 p.

ORLANDI, E.; GUIMARÃES, E. Apresentação. In: ______. (Org.). Institucionalização dos estudos da linguagem: a disciplinarização das ideias linguísticas. Campinas: Pontes, 2002. p. 7-12.

PÊCHEUX, M. Sobre a (des-)construção das teorias linguísticas. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, n.2, p. 7-32, jul./dez. 1998.

PERRONE-MOISÉS, L. Lição de casa. In: BARTHES, R. Aula. São Paulo: Cultrix, 2008. p. 51-89.

PERRONE-MOISÉS, L. Pós-estruturalismo e desconstrução nas Américas. In: PERRONE-MOISÉS, L. (Org.). Do positivismo à desconstrução: ideias francesas na América. São Paulo : Universidade de São Paulo, 2004. p. 213-236.

PUECH, C. L’esprit de Saussure : reception et héritage (l’héritage linguistique saussurien : Paris contre Genève). Les dossiers de HEL, Paris, SHESL, n. 3, 2013. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2015.

RIBEIRO, T. de M. Jogo nas regras, jogo sobre as regras: o real da língua como um espaço de jogo na obra de Michel Pêcheux. In: SEMINÁRIO DE ESTUDOS DO DISCURSO DA UFBA, 2014, Salvador. Anais eletrônicos do Seminário de Estudos do Discurso. Salvador: UFBA, 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2015.

SAUSSURE, F. de. Cours de Linguistique Générale. Paris : Payot & Rivages, 1995. 520 p.

SAUSSURE, F. de. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 2006. 278 p.

STAROBINSKI, J. Le mots sous le mots. Les anagrammes de Ferdinand deSaussure. Paris : Gallimard, 1971. 160 p.

TODOROV, T.; DUCROT, O. Dicionário enciclopédico das ciências da linguagem. São Paulo: Perspectiva, 1977. 355 p.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v45i3.728

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)