Dados sintáticos do português brasileiro em gramáticas brasileiras oitocentistas

Bruna Soares Polachini, Stela Maris Detregiacchi Gabriel Danna

Resumo


No início do século XIX, emerge uma gramaticografia brasileira do português, mas é apenas no final do século que dados sintáticos típicos de um português falado no Brasil ganham relevância nessas obras. No mesmo período, ocorre uma ruptura teórico-metodológica em benefício de uma corrente que prezava particularidades e comparação entre línguas. Esta nova orientação rompia com uma abordagem filosófica de estudo das línguas. Neste trabalho, procuramos observar as obras já analisadas por Coelho, Danna e Polachini (2014) por outro ângulo. Nosso objetivo é realizar um detalhado estudo dos dados linguísticos selecionados pelos gramáticos no tratamento que deram à sintaxe em suas obras, e verificar se a presença de PB, já observada no estudo mencionado, relaciona-se com uma mudança mais geral na seleção de dados das obras.


Palavras-chave


Historiografia Linguística; Gramáticas brasileiras do português; português brasileiro; sintaxe

Texto completo:

PDF

Referências


CARNEIRO RIBEIRO, E. Gramática portuguesa philosophica. Bahia: Catilina, 1877. 447 p.

CARNEIRO RIBEIRO, E. Serões Gramaticais. Bahia: Livraria Catilina, 1890. 369 p.

CAVALIERE, R. S. Uma proposta de periodização dos estudos linguísticos no Brasil. Alfa, São Paulo, 45, p. 49-69, 2001.

COELHO, O. F. A anguzada lexicográfica luso-bundo-americana: língua e identidade nacional na segunda metade do século XIX. 2003. 215 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

COELHO, O. F. Os nomes da língua: configuração e desdobramento do debate sobre a língua brasileira no século XIX. Revista do IEB. São Paulo, n. 47, p. 140-160, set. 2008.

COELHO, O; DANNA, S.; POLACHINI, B. O português do Brasil em gramáticas brasileiras do século XIX. Revista Confluência. Instituto de Língua Portuguesa do Liceu Literário Português, v.46, n.43, 2013. Disponível em . Acesso em: 3 out. 2015.

CORUJA, A. Alvares Pereira. Compendio da grammatica da lingua nacional dedicado á mocidade rio-grandense. Porto Alegre: Typographia de V. F. de Andrade, 1835. 68 p.

DANNA, S. M. D. G. Metalinguagem e ‘escolha de retórica’ em Bello (1853[1847]) e Said Ali (1919[1908]): faces dos estudos gramaticais na América do Sul. 2014. 218 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

ELIA, S. E. Ensaios de filologia e linguística. Rio de Janeiro: Grifo; Brasília: INL, 1975. 334 p.

MACIEL, M. de A. Grammatica descriptiva baseada nas doutrinas modernas. 3a edição augmentada com muitas notas e resumos synopticos. Rio de Janeiro e Paris: H. Garnier Livreiro-Editor, 1902[1894]. 360 p.

MORAIS SILVA, A. de. Epítome da Grammatica Portugueza. Lisboa: Simão Thaddeo Ferreira, 1806. 163 p.

NASCENTES, A. Estudos filológicos (1ª série). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1939.

PACHECO DA SILVA JÚNIOR, M.; LAMEIRA DE ANDRADE. Grammatica da Lingua Portugueza para uso dos gymnasios, lyceus e escolas normaes. Rio de Janeiro: J. G. de Azevedo, 1887. 537 p.

PINTO, E. P. O Português do Brasil: textos críticos e teóricos, 1 – 1820/1920, fontes para teoria e a história. São Paulo: Edusp, 1978. 510 p.

POLACHINI, B. S. O tratamento da sintaxe em gramáticas brasileiras no século XIX: estudo historiográfico. 2013. 219 f. Dissertação (Mestrado em Letras) –Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

RIBEIRO, J. C. Grammatica Portugueza. São Paulo: Typographia de Jorge Seckler, 1881. 299 p.

RIBEIRO, J. C. Grammatica portugueza: 3º anno. 3. ed. Rio de Janeiro: Livraria Clássica de Alves & C.,1889[1887]. 326 p.

RIBEIRO, J. C.“A Procellaria: 17 de Abril de 1887”. In: ______. Cartas Sertanejas; Procellarias (Edição Fac-símile). São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: FUNDAP, 2007. p. 85-94.

SAID ALI, M. Difficuldades da Língua Portugueza. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1919[1908; 2. ed. - revista pelo autor]. 327 p.

SOTERO DOS REIS, F. Grammatica portugueza accommodada aos principios geraes da palavra, seguidos de immediata applicação pratica. Maranhão: Typ. de R. de Almeida, 1866. 274 p.

SWIGGERS, P. “Modelos, Métodos y Problemas en la historiografía de la linguística”. Nuevas Aportaciones a la historiografía lingüística. Actas del IV Congresso Internacional de la SEHL. La Laguna (Tenerife), 22 al 25 de octubre de 2003, p. 113-146, 2004.

VIDAL NETO, J. B. A Grammatica portugueza, de Júlio Ribeiro: um corte epistemológico na gramaticografia brasileira e a questão da língua portuguesa no Brasil. 2010. 141 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v45i1.800

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)