Um retrato sociolinguístico da realização das preposições de complementos de verbos de movimento no português falado no interior paulista

Marcos Luiz Wiedemer

Resumo


Este artigo insere-se no programa de estudos do projeto ALIP (Amostra Linguísticado Interior Paulista) (GONÇALVES, 2007), em que analisamos um fenômeno de variação/mudança envolvendo as preposições a/para/em que introduzem complementos locativos de verbos de movimento (caminhar, chegar, entrar, ir, levar, mudar, partir, sair, voltar), e discutimos os resultados de análises de fatores linguísticos e extralinguísticos. Para constatarmos esta pesquisa, valemo-nos de uma amostra de 1.464 dados, coletados em 152 entrevistas sociolinguísticas pertencentes ao projeto ALIP. Embasam esta investigação postulados da gramaticalização e da sociolinguística. Os resultados evidenciam que o funcionamento das preposições que introduzem complemento locativo dos verbos de movimento apresenta-se num continuum de variação/gramaticalização.

 


Palavras-chave


Sociolinguística; verbo de movimento; preposição; português brasileiro

Texto completo:

PDF PDF

Referências


GONÇALVES, S. C. L. O português falado na região de São José do Rio Preto: constituição de um banco de dados anotado para o seu estudo: relatório científi co fi nal à Fapesp. São José do Rio Preto, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Unesp, 2007.

HOPPER, P. J.; TRAUGOTT, E. Grammaticalization. 2. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

ILARI, R. et al. A preposição. In: ILARI, R.; NEVES, M. H. M. (Org.). Gramática do português culto falado no Brasil, v. II: classes de palavras e construções. Campinas: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 2008. p. 623-808.

LABOV, W. Sociolinguistic patterns. Pennsylvania: University of Pennsylvania Press, 1972.

LABOV, W. Principles of linguistic change: social factors. Oxford: Blackwell, 2001.

LABOV, W. Some sociolinguistic principles. In.: PAULSTON, C. B.; TUCKER, G. R. Sociolinguistics: the essential readings. Oxford: Blackwell, 2003. p. 234-250.

LEHMANN, C. Thoughts on grammaticalization. 2nd. revised edition. Erfurt: University of Erfurt, 2002. Disponível em: < http://www.uni-rfurt.de/sprachwissenschaft/ASSidUe/ASSidUe09.pdf >. Acesso em: 25 nov. 2008.

MOLLICA, M. C. de M. A regência variável do verbo ir de movimento. In: SILVA, G. M. O.; SCHERRE, M. M. P. (Org.) Padrões sociolinguísticos: análise de fenômenos variáveis do português falado no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996. p. 147-167.

PEREIRA, E. C. Grammatica historica. São Paulo: Weiszfl og Irmãos, 1916.

RIBEIRO, A. J. C. R. Um caso de uso variável de preposições na chamada fala culta carioca: a regência do verbo Ir de predicação incompleta. 1996. 92f. Dissertação (Mestrado em Linguística) –, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1996.

VALLO, M. A. G. do. A regência do verbo ir de movimento na perspectiva variacionista. In: HORA, D. da (Org.) Estudos sociolinguísticos: perfil de uma comunidade. João Pessoa: Gráfica Editorial Pallotti, 2004. p. 207-217.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Empirical f oundations for a theory of language change. In: LEHMANN, W. P.; MACKIED, Y. (Ed.). Directions for historical linguistics. Austin: University of Texas Press, 1968. p. 97-195.

WIEDEMER, M. L. A regência variável do verbo ir de movimento na fala de Santa Catarina. 2008. 140f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

WIEDEMER, M. L. Variação e gramaticalização no uso de preposições em contextos de verbos de movimento no português brasileiro. 2013. 250f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)