MULTILETRAMENTOS E AUTONOMIA: UM ESTUDO DE CASO NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA

Eliana Kobayashi, Eugenio de Felipe Zampini

Resumo


A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do ensino médio (BRASIL, 2017) estabelece que o ensino de inglês deve abranger a utilização da língua na vida pessoal e profissional do aluno e expandir os seus repertórios linguísticos, multissemióticos e culturais. Diante disso, foi realizado um estudo de caso de natureza qualitativa em ensino de língua inglesa que busca promover os multiletramentos (COPE; KALANTZIS, 2009; ROJO, 2017) e a autonomia (BENSON, 2001; WARSCHAUER, 2002; LEFFA, 2003) dos alunos por meio de tarefas. Participam da investigação quatro alunos do ensino médio de uma instituição de ensino pública que realizaram três tarefas caracterizadas pelo desenvolvimento das habilidades comunicativas, utilização de recursos tecnológicos, exploração de fontes de informações, interação entre os participantes e expansão cultural. Tais tarefas foram elaboradas em conjunto pelos professores das disciplinas de língua inglesa e automação, que buscavam uma atuação interdisciplinar. Os resultados demonstram a promoção da autonomia dos alunos em aspectos como administração do tempo, seleção de formas de interação e recursos tecnológicos, e a prática de multiletramentos pode ser inferida pela promoção da consciência social e cultural por meios multimodais. 


Palavras-chave


Multiletramentos. Autonomia. Ensino de inglês

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21165/gel.v17i1.2822

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.