O sentimento de identidade e a manutenção/substituição linguística: o caso do vêneto em São Bento de Urânia, Espírito Santo

Autores

  • Katiuscia Sartori Cominotti Secretaria de Estado da Educação do Espírito Santo (SEDU), Alfredo Chaves, Espírito Santo, BrasilS https://orcid.org/0000-0002-4623-1221
  • Edenize Ponzo Peres Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, Espírito Santo, Brasil https://orcid.org/0000-0002-8552-5732

Resumo

Este artigo busca analisar o papel do sentimento de identidade para a manutenção ou a substituição da língua de um grupo minoritário. Especificamente, pretende-se analisar o processo de substituição da língua falada pelos imigrantes vênetos que se fixaram no distrito de São Bento de Urânia, em Alfredo Chaves, uma região bastante significativa para a história da imigração italiana no estado do Espírito Santo. Os procedimentos metodológicos utilizados para a obtenção dos dados foram: a aplicação de 118 questionários a moradores da comunidade de diferentes faixas etárias, a realização de 62 entrevistas semiestruturadas e a observação participante. Os resultados obtidos indicam que os sujeitos se identificam como descendentes de imigrantes italianos, sendo esse sentimento de identidade um forte fator da manutenção da língua vêneta, apesar da significativa perda de seus domínios de uso, no decorrer dos anos, relacionada a causas como a política de repressão do Estado Novo, na era Vargas; o papel da escola como instituição pública veiculadora de um ensino homogeneizador da língua portuguesa; e o preconceito linguístico. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edenize Ponzo Peres, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória, Espírito Santo, Brasil

Professora aposentada da Universidade Federal do Espírito Santo. Voluntária no Programa de Pós-Graduação em Linguística/Ufes e no Mestrado Profisional em Letras (Profletras-UFRN/Ifes). Área de atuação: Sociolinguística, Contatos Linguísticos, Ensino de Língua Portuguesa.

Referências

AGUILERA, V. de A. Crenças e atitudes linguísticas: o que dizem os falantes das capitais brasileiras. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 37, n. 2, p. 105-112, 2008.

ALTENHOFEN, C. V. O estudo de línguas de imigrantes no Brasil. O exemplo do “Hunsrückisch” no Rio Grande do Sul. Cadernos do Instituto de Letras, Porto Alegre, n. 18, p. 17-26, 1998.

ALTENHOFEN, C. V.; MORELLO, R. (org.). Hunsrückisch: inventário de uma língua do Brasil. Florianópolis: Ed. Garapuvu, 2018.

APPEL, R.; MUYSKEN, P. Bilingüismo y contacto de lenguas. Barcelona: Ariel, 1996.

AVELAR, D. dos S. A realização variável das consoantes oclusivas dentais por descendentes de imigrantes italianos de Santa Teresa, ES. 2015. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

BAKER, C.; JONES, P. S. Encyclopedia of bilingualism and bilingual education. Clevedon, Avon, UK: Multilingual Matters, 1998.

BAUMAN, Z. Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BREMENKAMP, E. S. Análise sociolinguística da manutenção da língua pomerana em Santa Maria de Jetibá, Espírito Santo. 2014. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

CALVET, L. J. As Políticas Linguísticas. São Paulo: Parábola, 2007.

CALVET, L. J. Sociolinguística: uma introdução crítica. Tradução Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2002.

CHRIST, A. da P. K.; PERES, E. P.; ROCHA, L. H. P. da. A história social dos contatos entre o Hunsrückisch e o português em Domingos Martins – Espírito Santo. Sociodialeto, v. 10, n. 28, p. 66-85, 2019. Disponível em: http://sociodialeto.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/209.

CHRIST, A. da P. K.; PERES, E. P.; STEIN, A. C. O Hunsrückisch e a religião na ex-Colônia de Santa Isabel, Domingos Martins-ES. Revista de Letras Norte@mentos, v. 14, n. 37, 2021. Disponível em: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/norteamentos/issue/current/showToc.

COMINOTTI, K. S. S. O contato linguístico entre o dialeto vêneto e o português em São Bento de Urânia, Alfredo Chaves, ES: uma análise sócio-histórica. 2015. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

COMINOTTI, K. S. S. O sentimento de identidade e o processo de manutenção/substituição linguística: o caso de São Bento de Urânia, Espírito Santo. 2021. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2021.

DERENZI, L. S. Os italianos no Espírito Santo. Rio de Janeiro: Artenova, 1974.

FASOLD, R. La sociolingüística de la sociedad: Introducción a la sociolingüística. Tradução Margarita España Villasante e Joaquín Mejía Alberdi. Madrid: Visor libros, 1996.

FISHMAN, J. Language Loyalty, Language Planning and Language Revitalization: Recent Writings and Reflections from Joshua A. Fishman/Edited by Nancy H. Hornberger and Martin Pütz. Clevedon, England: Multilingual Matters LTD, 2006.

FISHMAN, J. Sociología del lenguaje. Tradução Ramón Sarmiento y Juan Carlos Moreno. Madrid: Catedra, 1979 [1995].

FRANCESCHETTO, C. Imigrantes Espírito Santo: base de dados da imigração estrangeira no Espírito Santo nos séculos XIX e XX. Vitória: Arquivo Público do Estado do Espírito Santo, 2014.

GAIO, M. L. M. Etnicidade linguística em movimento: os processos de transculturalidade revelados nos brasileirítalos do eixo Rio de Janeiro-Juiz de Fora. 2017. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017.

GROSJEAN, F. Life with two languages: an introduccion to bilingualism. 11 impr. Cambrige, Massachussetts, London: Harvard University Press, 2001.

HALL, S. A Identidade Cultural na Pós-modernidade. Tradução Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HOLZ, F. C. Subsídios linguísticos para o trabalho com a ortografia de alunos bilíngues. 2020. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras – PROFLETRAS) Instituto Federal do Espírito Santo, Vitória, 2020.

INSTITUTO JONES DOS SANTOS NEVES. ES em mapas. Disponível em: http://www.ijsn.es.gov.br/mapas/. Acesso em: 08 fev. 2019.

KAUFMANN, G. Language maintenance and reversing language shift. Spracherhalt und Umkehr von Sprachwechsel. In: AMMON, U.; DITTMAR, N.; MATTHEIER, K.; TRUDGILL, P. (ed.). Sociolinguistics: An International Handbook of the Science of Language and Society. 2nd complet. Rev. and exit. Berlin, New York: Walter de Gruyter, 2006.

KLIPPEL-MACHADO, R. Práticas de oralidade e de escrita nas aulas de português em contexto de diversidade linguística: o contato entre as línguas portuguesa e hunsrückisch em Marechal Floriano, ES. 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal; Instituto Federal do Espírito Santo, Vitória, 2018.

LAMBERT, W. W.; LAMBERT, W. E. Psicologia social. Rio de Janeiro, Zahar, 1975.

LE PAGE, R. B. Projection, Focusing and Diffusion. York Papers in Linguistics, 1980.

MARTINUZZO, J. A. Germânicos nas terras do Espírito Santo. Tradução Helmar Reinhard Rölke. Vitória: Governo do Estado do Espírito Santo, 2009. Edição bilíngue português e alemão.

MATRAS, Y. Language contact. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

MEIHY, J. C. S. B. História oral: como fazer, como pensar. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2017.

MEY, J. L. Etnia, identidade e língua. In: SIGNORINI, I. (org.). Língua(gem) e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado. Campinas: Mercado de Letras; São Paulo: FAPESP, 1998. p. 69-88.

MONTRUL, S. El bilingüismo en el mundo hispanohablante. West Sussex, UK: Wiley-Blackwell, 2013.

MORENO FERNÁNDEZ, F. Principios de sociolingüística y sociología del lenguaje. Barcelona: Ariel, 1998.

PEREIRA-NETO, A. da S. Memória e oralidade em Santa Maria de Jetibá: uma proposta intercultural para a escrita de memórias literárias. 2018. Dissertação (Mestrado Profissional em Letras) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal; Instituto Federal do Espírito Santo, Vitória, 2018.

PERES, E. P.; COMINOTTI, K. S. S.; PARDINHO, V. da M. O ditongo nasal ão em São Bento de Urânia (ES). PAPIA, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 83-107, jan./jun. 2018. Disponível em: http://revistas.fflch.usp.br/papia/article/view/3050. Acesso em: 23 nov. 2021.

PESSALI, H. Alfredo Chaves: uma visão histórica e política. Alfredo Chaves: Câmara Municipal de Alfredo Chaves, 2010.

PETERLE, B. D. Análise sociolinguística da realização do ditongo nasal tônico em São Bento de Urânia, Alfredo Chaves/ES: o papel da variável sexo/gênero. 2017. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2017.

ROMAINE, S. Bilingualism. 2nd Edition. Oxford: England: Blackwell, 1995 [1989].

SILVA, T. T. da. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, T. T. Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Editora Vozes, 2006.

SPOLSKY, B. Language Management. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

TRESSMANN, I. Da sala de estar à sala de baile: estudo etnolingüístico de comunidades camponesas pomeranas do estado do Espírito Santo. 2005. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

TRESSMANN, I. Dicionário enciclopédico pomerano multilíngue (no prelo).

VILAÇA, A. Receita para um romanceiro. São Bento de Urânia (ES). SEBRAE, Vitória, 2010.

WEINREICH, U. Languages in Contact. Findings and Problems. With a preface by André Martinet. 7th ed. Paris: Mouton & Co. 1970.

WINFORD, D. An introduction to contact linguistics. Oxford: Blackwell, 2003.

Downloads

Publicado

28-12-2021

Como Citar

Cominotti, K. S., & Peres, E. P. (2021). O sentimento de identidade e a manutenção/substituição linguística: o caso do vêneto em São Bento de Urânia, Espírito Santo. Revista Do GEL, 18(3), 219–242. Recuperado de https://revistas.gel.org.br/rg/article/view/3169

Edição

Seção

Edição Temática