Terminologia do Turismo de Aventura: busca e análise de termos equivalentes (português-inglês) do campo atividades de aventura

Ivanir Azevedo Delvizio

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar resultados do trabalho de busca dos equivalentes em inglês de um conjunto de termos relativos às atividades de aventura. A seleção dos termos e a busca dos equivalentes tiveram como base dois corpora comparáveis especializados na área de Turismo de Aventura, compostos por textos redigidos originalmente em português e inglês, com o auxílio do programa de análise lexical WordSmith Tools. Também foram usadas obras complementares como dicionários de língua geral e especializados. Os termos, contextos de uso e defi nições extraídos dos corpora e das fontes complementares foram inseridos em fichas terminológicas trilíngues. Os dados coletados foram analisados e comparados com o objetivo de identifi car as relações de equivalência, equivalência parcial ou ausência de equivalência entre os termos em português e inglês.


Palavras-chave


Terminologia; Turismo de Aventura; Português-Inglês

Texto completo:

PDF

Referências


ALPÍZAR-CASTILLO, Rodolfo. Cómo hacer un diccionario científi co-técnico? Buenos Aires: Editorial Memphis, 1997.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE ECOTURISMO E TURISMO DE AVENTURA (ABETA); BRASIL. Ministério do Turismo. Manual de boas práticas de caminhada e caminhada de longo curso. Belo Horizonte: Editora dos Autores, 2009a.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE ECOTURISMO E TURISMO DE AVENTURA (ABETA); BRASIL. Manual de boas práticas de canionismo e cachoeirismo. Belo Horizonte: Editora dos Autores, 2009b.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE ECOTURISMO E TURISMO DE AVENTURA (ABETA); BRASIL. Relatório de impactos do programa aventura segura. Belo Horizonte: Editora dos Autores, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 15399: turismo de aventura – condutores de espeleoturismo de aventura – competências de pessoal. Rio de Janeiro, 2006.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 15500: Turismo de aventura: Terminologia. Rio de Janeiro, 2007.

AUSTRÁLIA. Department of Sport and Recreation. Western Australian Adventure Activity Standard: common safe practice for groups in the outdoors: caving. 2013a. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2014.

AUSTRÁLIA. Department of Sport and Recreation. Western Australian Adventure Activity Standard: common safe practice for groups in the outdoors: bushwalking. 2013b. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2014.

BAKER, Mona. Corpora in Translation Studies: an overview and some suggestions for future research. Target, v. 7, n. 2, p. 223-243, 1995.

BARROS, Lidia Almeida. Curso básico de Terminologia. São Paulo: Edusp, 2004.

BOUTIN-QUESNEL, Rachel et al. Vocabulaire Systématique de la Terminologie. Québec: Publications du Québec, 1985.

BRASIL. Ministério do Turismo. Regulamentação, normalização e certifi cação em turismo de aventura: Relatório Diagnóstico. Brasília, DF: Ministério do Turismo, 2005.

BRASIL. Turismo Acessível: bem atender no turismo de aventura adaptada. Brasília, DF: Ministério do Turismo, 2009. v. 4.

BRASIL. Ministério do Turismo. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. Coordenação Geral de Segmentação. Turismo de Aventura: orientações básicas. Brasília, DF: Ministério do Turismo, 2010.

BUCKLEY, Ralf Christopher. Adventure Tourism. Wallingford, Oxfordshire, UK; Cambridge, MA, EUA: CABI Pub., 2006.

BUCKLEY, Ralf Christopher; UVINHA, Ricardo Ricci. Turismo de Aventura: Gestão e Atuação Profi ssional. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

CABRÉ, Maria Teresa. La terminología: teoría, metodología, aplicaciones. Barcelona: Antártida; Empúries, 1993.

DUBUC, Robert. Manuel pratique de terminologie. Québec: Linguatech Éditeur, 1985.

FIGUEIREDO, Luiz Guilherme Buchmann; CAMPOS, João Geraldo Cardoso. Turismo de esportes e aventura: livro didático. 3. ed. Palhoça, SC: Unisul Virtual, 2007.

HOUAISS, Antônio. Dicionário eletrônico da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

KRIEGER, Maria da Graça; FINATTO, Maria José Bocorny. Introdução à terminologia: Teoria e Prática. São Paulo: Contexto, 2004.

LIMA, Dartel Ferrari de. Dicionário de Esportes. Rio de Janeiro: Sprint, 2002.

MERRIAM-WEBSTER Online Dictionary. Springfi eld: Merriam-Webster Incorporated, 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2014.

NOVA ZELÂNDIA. Outdoor activities guidelines for leaders. 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2014.

RUNDELL, Michael (Ed.). Macmillan English Dictionary for Advanced Learne rs. 2. ed. Oxford: Macmillan, 2007.

SWARBROOKE, John et al. Turismo de Aventura: conceitos e estudos de casos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

RONDEAU, Guy. Introduction a la terminologie. 2. ed. Québec: GaëtanMorin, 1984.

VEGA, Miguel Angel. Terminología y traducción. In: CABRÉ, Maria Teresa (Org.). Jornada Panllatina de Terminologia. Perpectives i camps d’aplicació. Barcelona: IULA, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)