A interculturalidade no ensino de PLE: metodologias ativas e políticas linguísticas

Gabriele Franco

Resumo


A formação de professores de português como língua estrangeira (PLE) possui um papel importante no ensino e na aprendizagem como um todo, sobretudo no ensino intercultural. O PLE, em seus diferentes contextos educacionais, lida com um público-alvo diverso e tem o desafio de desenvolver as condições necessárias para a compreensão de uma nova língua e cultura. No entanto, além de capacitar professores de PLE, é preciso oferecer uma formação intercultural que deve ser evidenciada por políticas linguísticas que viabilizem a elaboração de documentos norteadores e de metodologias para a atuação docente. Por isso, o presente trabalho reflete sobre a abordagem que as políticas linguísticas e os documentos orientadores como a Lei de Diretrizes e Bases (LDB), o Plano Nacional da Educação (PNE), o Parâmetro Curricular Nacional (PCN), as Orientações Curriculares para o Ensino Médio (OCEM), as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (DCN), a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação propõem para um ensino intercultural. Além disso, apresenta-se uma proposta para uma educação intercultural no ensino de português como língua estrangeira por meio da metodologia de Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP).

Palavras-chave


interculturalidade; português como língua estrangeira; políticas linguísticas; aprendizagem baseada em projetos

Texto completo:

PDF

Referências


BENDER, W. N. Aprendizagem Baseada em Projetos, Educação diferenciada para o século XXI. Porto Alegre: Penso, 2014.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em: 02 ago. 2018.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação – PNE. Diário Oficial, Brasília, DF.

CALVO, A. H. Viaje a la escuela del siglo XXI – Así trabajan los colegios más innovadores del mundo. Fundação Telefônica: Madri, 2015.

DIAS, A. P. P. Ensino e aprendizagem intercultural de línguas estrangeiras: da teoria à sala de aula. In: SÁ, R. L. (org.). Português para falantes de outras línguas – interculturalidade, inclusão social e políticas linguísticas. Campinas: Pontes Editores, 2016.

GARCÍA MARTÍNEZ, A.; ESCARBAJAL FRUTOS, A.; ESCARBARAL DE HARO, A. (org.). La interculturalidad. Desafío para la educación. Madrid: Dykinson, 2007.

GROSSO, M. J.; SOARES, A.; SOUSA, F.; PASCOAL, J. 2011. Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro. Disponível em: http://www.dgidc.minedu.pt/index. php?s=directorio&pid=67. Acesso em: 13 jul. 2018.

HALL, S. Representation – Cultural Representations and Signifying Pratices. The Open University, 1997.

LISPECTOR, C. A descoberta do mundo. Rocco: Rio de Janeiro, 1999.

MARCON, T. Multiculturalismo, intercultura e políticas educacionais. Revista Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 16, n. 2, p. 48-61, jul./dez. 2009.

MARHAM, T.; LARMER, J.; RAVITZ, J. (org.). Buck Institute for Education. Porto Alegre: Artmed, 2008.

MEC/ SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Fundamental. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 1998.

MEC/ SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclo: temas transversais: pluralidade cultural. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 1998.

MEC/ SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclo do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 1998.

MEC/ SEB. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2000.

MEC/SEB. Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2001.

MEC/ SEB. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Linguagens, códigos e suas tecnologias. Conhecimentos de Línguas Estrangeiras; Conhecimentos de Espanhol. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2006.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v48i3.2220

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)