Olhar histórico do português brasileiro através do gênero lírico: contribuições de análises advindas das Cantigas de Santa Maria

Gisela Sequini Favaro

Resumo


O presente artigo consiste em ressaltar a importância do gênero lírico para os estudos historiográficos da língua, em especial, o emprego das Cantigas de Santa Maria (CSM) para os estudos linguísticos. Segundo Mattos e Silva (1989, p.15), o lugar de produção coincide com os limites históricos em que o português era usado como língua escrita – e isso não se restringe aos limites da nação portuguesa, como se sabe – e os informantes são os produtores dos documentos que, elaborados naqueles limites cronológicos, chegam até o pesquisador atual. Desejamos demonstrar as contribuições do gênero lírico (em especial, da lírica religiosa) para a observação das mudanças linguísticas pelas quais o português passou no decorrer de sua constituição, com destaque para as formas verbais imperativas. Assim, visamos mostrar que a retomada de fatos do passado linguístico da língua portuguesa pode trazer uma maior compreensão da estrutura do português atual.


Palavras-chave


gênero lírico; cantigas medievais; história do português

Texto completo:

PDF

Referências


AULETE, C. Dicionário contemporâneo da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Delta, 2014.

BERTOLUCCI PIZZORUSSO, V. Afonso X. In: LANCIANI, G.; TAVANI, G. (Org.). Dicionário da literatura medieval galega e portuguesa. Lisboa: Caminho, 1993. p. 142-146.

BORGES, P. R. Estruturas Morfofonológicas das Formas Futuras nas Cantigas de Santa Maria. 2008. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2008.

BORGES, P. R. Formas verbais imperativas em tiras de jornais paulistas. 2004. Dissertação (Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2004.

CÂMARA JR., J. M. História e estrutura da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Padrão, 1979 [1976].

CASTRO, B. M. As Cantigas de Santa Maria: um estilo gótico na lírica ibérica medieval. Niterói: EdUFF, 2006.

COSTA, D. S. da. Estudo do Acento Lexical no Português Arcaico por meio das Cantigas de Santa Maria. 2006. Dissertação (Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2006.

ERNOUT, A. Morphology Historique du Latin. Paris: C. Klincksieck, 1945.

FARACO, C. A. The imperative sentence in Portuguese: a semantic and historical discussion. 1982. Tese (Doutorado) – University of Salford, Salford, 1982.

FARIA, E. Gramática superior da Língua Latina. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1958.

FAVARO, G. Estudo das formas verbais do modo imperativo nas Cantigas de Santa Maria. 2016. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2016.

FILGUEIRA VALVERDE, J. Introducción. In: ALFONSO X EL SABIO. Cantigas de SantaMaría: Códice Rico de El Escorial. Madrid: Castalia, 1985. p. XI-LXIII.

GONÇALVES, E. Apresentação crítica. In: GONÇALVES, E.; RAMOS, M. A. A lírica galego-portuguesa (textos escolhidos). 2. ed. Lisboa: Editorial Comunicação, 1985.

LAPA, M. R. Fernão Lopes e os cronistas In: LAPA, M. R. Lições de literatura portuguesa: época medieval. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1981. p. 369.

LEÃO, Â. V. Cantigas de Santa Maria de Afonso X, o Sábio: aspectos culturais e literários.Belo Horizonte: Veredas & Cenários, 2007.

LEÃO, Â. V. Questões de linguagem nas Cantigas de Santa Maria, de Afonso X. Ensaios. Associação Internacional de Lusitanistas (AIL). 2002. Disponível em: http://www.pucrs.br/fale/pos/ail/leao01.htm. Acesso em: 17 jan. 2005.

MARCUSCHI, L. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MASSINI-CAGLIARI, G. Legitimidade e identidade: da pertinência da consideração das Cantigas de Santa Maria de Afonso X como corpus da diacronia do Português. In: MURAKAWA, C. A. A. de; GONÇALVES, M. F. (org.). Novas contribuições para o estudo da história e da historiografia da língua portuguesa. São Paulo/Araraquara:Cultura Acadêmica/Laboratório Editorial da FCL/UNESP-Araraquara, 2007. v. 1, p. 101-126.

MASSINI-CAGLIARI, G. A música da fala dos trovadores: estudos de prosódia do português arcaico, a partir das cantigas profanas e religiosas. Tese (Livre Docência em Linguística) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2005.

MASSINI-CAGLIARI, G. De sons de poetas ou estudando fonologia através da poesia. Revista da Anpoll, São Paulo, Humanitas Publicações – FFLCH / USP, n. 5, p. 77-105, 1998.

MASSINI-CAGLIARI, G.; CAGLIARI, L. C. Fonética. In: MUSSALIM, F.; BENTES, A. C. (org.). Introdução à Linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001. v. 1, p. 105-141.

MATTOS E SILVA, R. V. O Português Arcaico: fonologia, morfologia e sintaxe. São Paulo: Contexto, 2006.

MATTOS E SILVA, R. V. O português arcaico: fonologia. São Paulo: Contexto, 2001.

MATTOS E SILVA, R. V. Estruturas Trecentistas: elementos para uma gramática do português arcaico. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da moeda, 1989.

METTMANN, W. Cantigas de Santa María (cantigas 1 a 100): Alfonso X, el Sabio. Madrid: Castalia, 1986 (volume I).

METTMANN, W. . Glossário. In: AFONSO X, O SÁBIO. Cantigas de Santa Maria. Coimbra: Universidade, 1972, v.IV: Glossário.

MICHAËLIS DE VASCONCELOS, C. Lições de Filologia Portuguesa (segundo as preleções feitas aos cursos de 1911/12 e de 1912/13) Seguidas das Lições Práticas de Português Arcaico. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1946 (1912-1913).

MONGELLI, L. M. Fremosos cantares: antologia lírica medieval galego-portuguesa. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009. p. 21-46.

PARKINSON, S. As Cantigas de Santa Maria: estado das cuestións textuais. Vigo: Anuario de estudios literarios galegos, 1998. p. 179-205.

PEÑA, M. Affonso el Sabio. Antología com estudios preliminares y un vocabulario. México: Porrúa, 1973.

WILLIAMS, E. B. Do Latim ao Português. 3. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1973 [1938].




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i1.2577

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)