Investigando efeito retroativo do SAEB/Prova Brasil de leitura no 9º ano do ensino fundamental

Adriana de Oliveira Barbosa

Resumo


Neste artigo apresento resultados parciais de uma investigação qualitativa sobre o efeito retroativo de uma avaliação padronizada em larga escala presente no contexto educacional brasileiro, o SAEB/Prova Brasil. Foram conduzidas entrevistas semiestruturadas com gestores e professores de 9º ano de língua portuguesa de duas escolas e um centro regional de ensino do Distrito Federal e analisadas suas percepções acerca dessa avaliação, com o objetivo de contribuir para a compreensão do fenômeno do efeito retroativo. Os resultados encontrados trazem reflexões pertinentes acerca da avaliação pelos entrevistados, que não a ignoram e revelam algumas estratégias adotadas por força da avaliação em uma das escolas, dando indícios de efeito retroativo de intensidade fraca, ligado ao fator de prestígio associado ao resultado numérico representado pelo IDEB.


Palavras-chave


avaliação; efeito retroativo; SAEB; Prova Brasil; leitura.

Texto completo:

PDF

Referências


ALDERSON, J. C. Foreword. In: CHENG, L; WATANABE, Y. Washback in Language Testing: Research, Contexts and Methods. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2004.

ALDERSON, J. C.; WALL, D. Does washback exist? Applied Linguistics, v. 14, p. 115-129, 1993.

ALDERSON; C. J.; BENERJEE, J. Language testing and assessment (Part 1). Language Teaching, v. 34, p. 213-236, 2001.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BONAMINO, A. A evolução do SAEB: desafios para o futuro. Em Aberto, Brasília, v. 29, n. 96, p. 113-126, maio/ago. 2016. Disponível em: http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/issue/view/273. Acesso em: 26 mar. 2017.

BONAMINO, A.; SOUSA, S. Z. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, v. 38, n. 2, p. 373-388, abr./jun. 2012.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Seção 1, p. 1.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Relatório SAEB 2017 [recurso eletrônico]. Brasília: INEP, 2019. 162p. Disponível em: https://bit.ly/2U6cxoB. Acesso em: 02 set. 2019.

BRASIL. Relatório do 2º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação – 2018. 2. ed. – Brasília, DF: Inep, 2019b. 474 p. Disponível em: https://bit.ly/2XsRluZ. Acesso em: 02 set. 2019.

BRASIL. SAEB 2001: novas perspectivas. Brasília: INEP, 2001.

BROOKE, N. O futuro das políticas de responsabilização educacional no Brasil. Cadernos de Pesquisa, v. 36, n. 128, p. 377-401, maio/ago. 2006.

CHENG, L; CURTIS, A. Washback or Backwash: A Review of the Impact of Testing on Teaching and Learning. In: CHENG, L.; WATANABE, Y.; CURTIS, A. (ed.). Washback in Language Testing: Research, Contexts and Methods. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2004. p. 3-18.

CORRÊA, T. R. S. G. Os reflexos do Saeb/prova brasil nas práticas pedagógicas de língua portuguesa nas escolas municipais de Costa Rica/MS. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2XWtD9o. Acesso em: 05 mar. 2018.

FERNANDES, R. A universalização da avaliação e a criação do Ideb: pressupostos e perspectivas. Em Aberto, Brasília, v. 29, n. 96, p. 99-111, maio/ago. 2016. Disponível em: https://bit.ly/2Mo4YoW. Acesso em: 26 mar. 2017.

LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. Pesquisa pedagógica: do projeto à implementação. Porto Alegre: Artmed, 2008.

MARCUSCHI, L. A. Análise da Conversação. 5. ed. São Paulo: Ática, 2003.

OLIVEIRA, A. P. M. Avaliação e regulação da educação: a Prova Brasil como política de regulação da rede pública do Distrito Federal. Brasília: Líber Livro; Faculdade de Educação/UnB, 2012.

RETORTA, M. S. Percepções do professor sobre o SAEB: um estudo sobre o efeito retroativo. Revista Educação & Tecnologia n. 10, p. 133-174, 2010. Disponível em:

https://bit.ly/3ctZvrf. Acesso em: 02 abr. 2018.

SCARAMUCCI, M. V. R. Efeito retroativo da avaliação no ensino/aprendizagem de línguas: o estado da arte. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, v. 43, n. 2, p. 203-226, jul./dez. 2004.

SOUZA, E. R. Accountability de professores: um estudo sobre o efeito da Prova Brasil em escolas de Brasília. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009. Disponível em:

https://bit.ly/2zU9SY9. Acesso em: 05 mar. 2018.

SOUZA, P. R. O efeito retroativo do EPLIS nas percepções, atitudes e ações de professores e alunos de um curso de formação em controle de tráfego aéreo. 2018. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, 2018. Disponível em: https://bit.ly/307RSV3. Acesso em: 29 maio 2019.

WATANABE, Y. Methodology in Washback Studies. In: CHENG, L.; WATANABE, Y.; CURTIS, A. (ed.). Washback in language testing: Research contexts and methods. Mahwah, NJ: Lawrance Erlbaum Associates, 2004, p. 19-36.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i2.2683

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)