Análise da alteridade em Cadernos de Língua Inglesa da Rede Pública

Olena Kovalek

Resumo


No presente artigo, abordamos um dos aspectos culturais que foi elencado em nossa dissertação de mestrado: o desenvolvimento do processo de alteridade no ensino e aprendizagem de língua inglesa (LI). Fundamentamo-nos teoricamente nas reações em face da alteridade, na sala de aula, e nos planos de alteridade (axiológico, praxiológico e epistêmico) na perspectiva de Todorov (1995). Em seguida, fizemos a análise dos Cadernos da rede pública do Estado de São Paulo. Optamos pela análise do Volume 1 (Cadernos do professor e do aluno), da primeira série do ensino médio. A partir da análise, notamos a possibilidade de se abordar a alteridade em algumas atividades encontradas nos Cadernos. Daí, a partir dessa possibilidade, sugerimos atividades que poderiam ser exploradas em sala de aula de LI por meio do trabalho com a alteridade.


Palavras-chave


alteridade; análise dos Cadernos; interculturalidade

Texto completo:

PDF

Referências


BHABHA, H. K. O local da cultura. Tradução de M. Ávila, E. L. de L. Reis e G. R. Gonçalves. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008.

CHAVES, R. M. B. ; MOREIRA, G. Représentations de Soi et de l ́Autre d ́efants portugais. In: BIZARRO, R. (Org.). Eu e o Outro: estudos multidisciplinares sobre identidade(s), diversidade(s) e práticas interculturais. Porto: Areal Editores, 2007.

DORNBUSCH, C. S. O olhar estrangeiro. Pandaemonicum Germanicum, n. 2, p. 13-21, 1998.

FINI, M. I. Proposta Curricular do Estado de São Paulo: Inglês. São Paulo, SEE (Secretaria da Educação), 2008.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

KAWACHI, G. J. Estereótipos culturais em estágios avançados de aprendizagem de inglês como língua estrangeira e seus desdobramentos para o ensino e uso do idioma. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos/área de concentração Linguística Aplicada), PPGL, UFSCar, São Carlos, 2011.

KRAMSCH, C. Context and culture in language teaching. Oxford: Oxford University Press, 1993.

KRAMSCH, C. Language and culture. Oxford: OUP, 1998. 134 p.

LIPPMANN, W. Meios de comunicação de massa. São Paulo: Cultrix, 1980.

MAHER, T.M. Ser professor sendo índio: questões de lingua(gem) e identidade. Tese (Doutorado) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual Paulista, Campinas, 1996.

MARC, E. Les dessous de la communication interculturelle. Sciences Humaines, n. 16, p. 26-30, Avril, 1992.

OLIVEIRA, M. Como fazer pesquisa qualitativa. Petrópolis: Vozes, 2007.

ROZENFELD, C. C. F. Crenças sobre uma língua e cultura-alvo (alemão em dimensão intercultural de ensino de língua estrangeira). Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos/área de concentração Linguística Aplicada) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2007.

SÃO PAULO. Secretaria do Estado da Educação. Caderno do professor: LEM – Inglês, ensino médio – 1a série, v. 1. Coordenação geral: Maria Inês Fini. Equipe: Adriana Ranelli Weigel Borges, Azilda da Silva Shimoura, Lívia de Araújo Donnini Rodrigues, Priscila Mayumi Hayama, Sueli Salles Fidalgo. São Paulo: SEE, 2009.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D.; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, 2009. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2012.

TODOROV, T. A conquista da América. São Paulo: Martins Fontes, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)