O ensino do léxico pelo recorte da coesão nominal

Maria Bernadete Rehfeld

Resumo


Este trabalho investiga o uso que concluintes do Ensino Médio fazem dos recursos de coesão nominal para construir textos escritos, do tipo teórico-opinativo. Propõe o ensino de línguas pela Abordagem Lexical, o ensino do léxico pelo desenvolvimento da competência lexical, aborda a coesão nominal sob o enfoque do Interacionismo Sociodiscursivo e subdivide as anáforas nominais em correferenciais e não correferenciais. O objetivo foi explicar a dificuldade demonstrada por muitos alunos, ao afinal da Educação Básica, na construção dessas cadeias anafóricas. O corpus da pesquisa foi constituído por textos empíricos, produzidos por estudantes em situação de vestibular. Os dados foram coletados por amostragem, abarcando as quatro grandes áreas do conhecimento e sua coleta foi interrompida pelo princípio da saturação teórica. A coleta foi realizada de acordo com observáveis de natureza semântica, léxico-sintática e paralinguística. Os resultados evidenciaram a predominância da repetição lexical, dos sinônimos, dos nomes genéricos, entre as anáforas correferenciais; a dos merônimos, entre as não correferenciais, e apontaram a necessidade de um trabalho pontual com os demais recursos.


Palavras-chave


língua escrita; competência lexical; texto teórico-opinativo; coesão nominal

Texto completo:

PDF

Referências


ALERTA na Mata Atlântica. Época. São Paulo, n. 785, p. 12, 10 jun. 2013.

ANTUNES, I. Território das palavras: estudo do léxico em sala de aula. São Paulo: Parábola, 2012.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo-sociodiscursivo. Tradução de Anna Rachel Machado e Péricles Cunha. São Paulo: EDUC, 1999.

CAVALCANTE, M. M.; FILHO, V. C.; BRITO, M. A. P. Coerência, referenciação e ensino. São Paulo: Contexto, 2014.

ÉPOCA. São Paulo: Ed. Globo, n. 784, 03 jun. 2013, p. 10.

ESPECIAL Rio+20. Estado de Minas. Belo Horizonte, 10 jun. 2012. Suplemento, p. 2, 3, 5, 8 e 9.

FERRAZ, A. P. El desarrollo de la competencia léxica desde el uso de material auténtico en la enseñanza de PLE. In: CONGRESO INTERNACIONAL DE LINGÜÍSTICA GENERAL, 9, 2010, Valladolid. Actas Del Congreso, Valladolid: Universidad de Valladolid, 2010, p. 1846-1859.

GLASER, B. G.; STRAUSS, A. L. The discovery of grounded theory: strategies for qualitative research. New Brunswich (U.S.A.): Aldine Plublishing Company, 1967. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2015.

GÜNTHER, H. Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa. In: Psicologia: teoria e pesquisa. Brasília, v. 22, n. 2, p. 201-210, 2006.

KOCH, I. V. Introdução à Linguística Textual. 2. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

LEWIS, M. The lexical approach: the state of ELT and a forward. Hove: Language Teaching Publications, 1997, cap. 5, p. 89-104.

MARCUSCHI, L. A. Anáfora indireta: o barco textual e suas âncoras. In: KOCH, I. V.; MORATO, E. M.; BENTES, A. C. (Orgs.). Referenciação e discurso. São Paulo: Contexto, 2005, p. 53-101.

NATUREZA devastadora. Época. São Paulo, n. 783, p. 18, 27 maio 2013.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v46i1.1665

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)