Oficinas de fanfictions na escola: investigando práticas de revisão e reescrita

Larissa Giacometti Paris

Resumo


A finalidade deste artigo consiste em apresentar parte dos pressupostos teóricos e metodológicos de uma pesquisa de mestrado. Além disso, procura-se analisar dois dados desta investigação referentes às práticas de revisão e reescrita de alunos do Ensino Médio que participaram de uma oficina de produção de fanfictions realizada no contexto escolar. Nela, os discentes escreveram suas narrativas, as quais foram revisadas por um colega e, posteriormente, reescritas por seus escritores, sendo o corpus constituído pelos textos produzidos por estes sujeitos. Foi constatado que, inicialmente, os estudantes utilizavam-se da revisão e da reescrita considerando somente uma higienização do texto, mas que, no decorrer da prática, tais conceitos foram expandidos e ressignificados.


Palavras-chave


fanfictions; escola; revisão; reescrita

Texto completo:

PDF

Referências


BLACK, R. Access and affiliation: the literacy and composition practices of English-language learners in an online fanfiction community. In: Journal of adolescent & adult literacy, v.49, n.2, p. 118-128, 2005. DOI: 10.1598/JAAL.49.2.4.

BLACK, R. Language, Culture, and Identity in Online Fanfiction. In: E–Learning, v.3, n.2, p. 170-184, 2006. DOI: 10.2304/elea.2006.3.2.170.

BLACK, R. Digital Design: English Language Learners and Reader Reviews in Online Fiction. In: KNOBEL, M.; LANKSHEAR, C. A new literacies sampler. New York: Peter Lang, 2007. p. 115-136.

BLACK, R. Just don’t call them cartoons: the new literacy spaces of anime, manga, and fanfiction. In: LEU, J. D.; COIRO, C.; LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. (orgs.). Handbook of research on new literacies. Mahwah, NJ: Erlbaum, 2008. p. 587-615.

BLACK, R. Online fanfiction and critical media literacy. In: Journal of Computing in Teacher Education, v.26, n.2, p. 75-80, 2009. DOI: 10.1080/10402454.2009.10784636.

CONCEIÇÃO, R. I. S. Correção de texto: um desafio para o professor de português. In: Trabalhos em Linguística Aplicada, v.43, n.2, p. 323-344, jul./dez. 2004. DOI: 10.1590/S0103-18132004000200001.

JENKINS, H. Textual Poachers: television fans and participatory culture. New York: Routledge, 1992. 346 p.

JENKINS, H. Convergence culture: where old and new media collide. New York: New York University Press, 2006. 308 p.

JESUS, C. A. de. Reescrita: para além da higienização. 1995. 125 p. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

KNOBEL, M.; LANKSHEAR, C. Studying New Literacies. In: Journal of Adolescent & Adult Literacy, v.58, n.2, p. 97-101, 2014. DOI: 10.1002 /jaal.314.

LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. Sampling “the new” in New Literacies. In: KNOBEL, M.; LANKSHEAR, C. (orgs.). A new literacies sampler. New York: Peter Lang, 2007. p. 1-24.

LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. New literacies: everyday practices and social learning. Berkshire, New York: Open University Press, 2011. 280 p.

PINHEIRO, P. A. Gêneros no mundo digital: um meio de “transdisciplinar” a escola. In: GONÇALVES, A. V.; BAZARIM, M. (orgs.). Interação, gêneros e letramento: a (re)escrita em foco. 2. ed. Campinas: Pontes Editores, 2013. p. 221- 235.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011, 136 p.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v45i2.587

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)